Procuradoria denuncia 26 por ‘rombo bilionário’ em fundos de pensão

Procuradoria denuncia 26 por ‘rombo bilionário’ em fundos de pensão

Ministério Público Federal em Brasília leva à Justiça três novas acusações formais no âmbito da Operação Greenfield por supostas fraudes contra a previdência complementar Funcef, Petros e Postalis, entre 2009 e 2014

Luiz Vassallo, Pedro Prata e Fausto Macedo

07 de outubro de 2019 | 18h50

Notícia atualizada às 18h50 de 08.10.2019 para inclusão do nome dos denunciados

Os procuradores da força-tarefa Greenfield denunciaram 26 investigados por suposto ‘rombo bilionário‘ contra previdência complementar Funcef, Petros e Postalis. Nesta segunda, 7, os procuradores levaram à Justiça três acusações penais contra o grupo por supostas fraudes – nos três casos, os crimes teriam sido viabilizados por meio de aportes no Fundo de Investimentos e Participações (FIP) Multiner, segundo os procuradores.

O Fundo de Pensões dos Correios, Postalis. Foto: Postalis/Divulgação

“Os acusados responderão, na medida de suas participações, por gestão fraudulenta, temerária ou por desvio de recursos em proveito próprio ou de terceiros”, assinala o Ministério Público Federal.

Além das penas de prisão, os procuradores reivindicam o pagamento de R$ 3,1 bilhões como forma de reparação de danos moral e social causados, bem como para a devolução dos produtos dos crimes. O montante equivale ao triplo dos prejuízos causados.

As fraudes teriam ocorrido, segundo a Procuradoria, entre 2009 e 2014.

“Diretores dos fundos de pensão, em parceria com executivos do Multiner e com empresas de consultoria, agiram para aprovar aportes milionários no Multiner, mesmo em um cenário de desequilíbrio e incapacidade financeira da empresa”, sustenta o Ministério Público Federal.

A denúncia aponta que ‘os artifícios para engendrar tais operações envolveram a superavaliação da empresa, o uso de laudos falsos e a minimização dos riscos envolvidos nos financiamentos realizados’.

A Fundação dos Economiários Federais (Funcef) é o terceiro maior fundo de pensão do Brasil. Foto: Funcef/Divulgação

As investigações revelaram que ‘as consultorias contratadas para fazer a valoração do Multiner e para orientar quanto à decisão pelos aportes eram empresas especializadas em design de interiores e em suporte técnico de serviços de TI’.

“Ou seja, sob o pretexto de consultar empresas de ‘notória especialização’, foram contratadas instituições sem qualquer expertise que pudesse fundamentar investimentos milionários com recursos de terceiros”, acentua a Procuradoria.

As denúncias esclarecem também ‘a complexidade envolvida nos negócios’ e as ‘necessárias condutas de diligência, cuidado e segurança que deveriam ter sido observadas nas aprovações dos investimentos’.

A Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) é o segundo maior fundo de pensão da América Latina. Foto: Petros/Divulgação

“O FIP Multiner englobava, ao menos no papel, dezenas de usinas hidrelétricas, o que, por si só, denotaria a necessidade de conhecimento relevante a fim de endossar as aplicações”, ressalta a Procuradoria. “No entanto, invariavelmente a atitude dos diretores dos fundos foi de negligência e de omissão, em prejuízo dos pensionistas ou investidores.”

“Todo o processo que culminou com os atos de gestão fraudulenta aqui já narrados, geraram o enriquecimento indevido da holding Muttiner S/A, e, consequentemente, de seus controladores, em prejuízo aos fundos de pensão”, diz a Procuradoria.

Segundo as denúncias à Justiça, ‘100% dos investimentos realizados pelos cotistas no FIP foram perdidos’

Os denunciados pelos procuradores da força-tarefa Greenfield foram:

  1. Guilherme Narciso de Lacerda
  2. Luiz Philippe Peres Torelly
  3. Carlos Alberto Caser
  4. Carlos Augusto Borges
  5. José Augusto Ferreira dos Santos
  6. Humberto Pires Grault Vianna de Lima
  7. Diego de Magalhães Ozorio
  8. Carlos Alberto Rosa
  9. Ronaldo Marcelio Bolognesi
  10. Paulo Cesar Rutzen
  11. Wagner Pinheiro de Oliveira
  12. Luís Carlos Fernandes Afonso
  13. Newton Carneiro da Cunha
  14. Carlos Fernando Costa
  15. Humberto Santamaria
  16. Roberto Gremler
  17. Fernando Pinto Matos
  18. José Genivaldo da Silva
  19. Marcelo Andreeto Perillo
  20. Luiz de Magalhães Ozório
  21. Alexej Predtechensky
  22. Adilson Florêncio da Costa
  23. Ricardo Oliveira Azevedo
  24. José Carlos Rodrigues de Souza
  25. Mônica Christina Caldeira Nunes
  26. João Carlos Penna Esteves

COM A PALAVRA, O FUNDO DE INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES (FIP) MULTINER

A reportagem busca contato com o Multiner. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, A DEFESA DOS DENUNCIADOS

A reportagem busca contato com a defesa de todos os denunciados pela força-tarefa. O espaço está aberto para manifestação.

Tudo o que sabemos sobre:

Operação Greenfield

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: