Procurador solta puns durante  sessão virtual e pede desculpas pela ‘deselegância’

Procurador solta puns durante  sessão virtual e pede desculpas pela ‘deselegância’

Paulo Prado, do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, deixou microfone aberto em meio à sessão do Tribunal de Justiça e não segurou gases disparados em alto e bom som

Rodrigo Sampaio/Especial para o Estado

10 de junho de 2020 | 14h25

Uma cena inusitada aconteceu durante uma sessão virtual do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) no último dia 4 de junho. O procurador Paulo Prado esqueceu o microfone ligado e acabou soltando puns enquanto era realizado um julgamento por videoconferência, habitual nos tribunais desde o avanço da pandemia do coronavírus no Brasil. 

Procurador Paulo Prado se desculpo com colegas após descuido com microfone. Foto: Reprodução

O momento constrangedor teve início enquanto o advogado Bruno Boaventura se apresentava aos demais. Aos 03:51:55 da sessão virtual, disponibilizada integralmente no YouTube, é possível ouvir o primeiro flato disputar espaço com a voz do membro do Ministério Público. Instantes depois, durante uma sustentação oral do colega, Paulo Prado deixa escapar um novo pum, como pode ser ouvido aos 3:58:31 da vídeo. 

Ainda sem perceber que havia deixado seu microfone ligado, o procurador se aliviou novamente dos gases — aos 4:01:13 — interrompendo a enfática fala de Boaventura. Ao finalmente se dar conta da distração, Prado pede a voz para se desculpar com os membros da sessão. 

“Teve dois momentos que eu me descuidei aqui com o microfone. Se por acaso eu fui deselegante ou causou algum mal estar, queiram me perdoar, por favor”, disse aos colegas de forma constrangida — 6:10:43 —.

Tudo o que sabemos sobre:

TJMTSESSÃO VIRTUALPAULO PRADOPUM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.