Procurador de Justiça de São Paulo é indicado para vaga no CNJ

Procurador de Justiça de São Paulo é indicado para vaga no CNJ

Arnaldo Hossepian, que atua há 28 anos no Ministério Público paulista, foi escolhido em um processo de seleção nacional

Lilian Venturini

17 de junho de 2015 | 18h34

Por Mateus Coutinho

hossepiandiv

O procurador de Justiça do Ministério Público de São Paulo Arnaldo Hossepian foi indicado nesta terça-feira, 16, pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot para ocupar a vaga no Conselho Nacional de Justiça – órgão responsável pela regulamentação do Poder Judiciário – destinada ao Ministério Público nos Estados.

Os MPs de todos os Estados puderam sugerir um membro até o dia 31 de maio para a escolha da vaga. A indicação se dá três meses após Hossepian ter sido escolhido, com 939 votos, 58% dos votos válidos, no dia 28 de fevereiro, pelos promotores e procuradores de Justiça do MP paulista a ser o representante de São Paulo na disputa.

 “Acredito ter cumprido o objetivo inicial, de construir um espaço impessoal e propositivo, aberta ao diálogo e fundamentada em uma carreira de 28 anos de Ministério Público”, declara Hossepian que passará agora por sabatina no Senado, em data definida pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Durante sua candidatura na disputa interna em São Paulo o procurador sugeriu propostas como o aprimoramento dos sistemas de processo digital do Judiciário; a presença efetiva do Ministério Público em comissões para assegurar a posição do MP nos programas implantados pelo CNJ;  a necessidade de repactuação da distribuição das custas judiciais, contemplando o Ministério Público dos Estados com uma parcela compatível com a sua dimensão em cada Estado da Federação; dentre outros temas.

Arnaldo Hossepian integra o Ministério Público de São Paulo há 28 anos, tendo exercido nos últimos três anos o cargo de Subprocurador-Geral de Justiça de Relações Externas. Foi Promotor e é Procurador de Justiça criminal, atuando na administração superior chefiada por três Procuradores-Gerais (Rodrigo Pinho, Fernando Grella e Márcio Elias Rosa). Hossepian também coleciona experiência fora da instituição, como secretário adjunto da Segurança Pública do Estado de São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: