Procurador da Fazenda que esfaqueou juíza é encontrado morto

Procurador da Fazenda que esfaqueou juíza é encontrado morto

Matheus Carneiro Assunção, que na tarde de 3 de outubro do ano passado, golpeou Louise Filgueiras dentro do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região, na Avenida Paulista, teria se suicidado por enforcamento na clínica psiquiátrica onde estava internado desde novembro

Renato Jakitas

03 de fevereiro de 2020 | 16h57

TRF-3, na Avenida Paulista. Foto: Google Street View

O procurador da Fazenda Nacional Matheus Carneiro Assunção, que tentou matar a facadas a juíza federal Louise Filgueiras, na sede do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3), foi encontrado morto na madrugada desta segunda, 3, na clínica psiquiátrica onde estava internado desde novembro. Ele apresentava quadro de depressão grave. A hipótese mais provável é que Assunção se suicidou, por enforcamento. A polícia vai abrir inquérito.

Depois do ataque à juíza, no dia 3 de outubro do ano passado, o procurador chegou a ficar preso em Tremembé, no interior de São Paulo.

Depois, em novembro, ele foi transferido para uma clínica psiquiátrica.

Laudos psiquiátricos diagnosticaram que Assunção, durante o ataque, passou por ‘surto psicótico agudo transitório’.

Assunção atacou a magistrada com uma faca, golpeando-a no pescoço, próximo à jugular. Louise sofreu ferimentos leves.

Naquela tarde de 3 de outubro, ele invadiu o gabinete da magistrada, na sede do TRF-3, avenida Paulista.

Depois de contido, o procurador afirmou que ‘queria fazer protesto’.

Assunção tinha ido primeiro ao gabinete do desembargador Fábio Prieto de Souza, no 22.º andar da Corte, mas ele não estava no local, já que participava de uma sessão.

O agressor, então, desceu correndo pelas escadas e, no 21º andar, invadiu o gabinete da juíza. Inicialmente, ele atirou uma jarra de vidro em direção à magistrada. Depois, a golpeou com a faca.

O procurador da Fazenda Nacional foi detido e levado pela Polícia Federal. Laudos psiquiátricos diagnosticaram que Assunção, durante o ataque, passou por ‘surto psicótico agudo transitório’.

Em nota interna, a Advocacia-Geral da União e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional lamentaram a morte de Assunção:

“Com profunda tristeza, lamentamos a morte do procurador da Fazenda Nacional Matheus Carneiro Assunção. Profissional dedicado e admirado pelos colegas, Matheus construía uma brilhante trajetória acadêmica e profissional, prematuramente interrompida”.

“A perda do Dr. Matheus é irreparável e reforça a consciência de que, assim como enfermidades físicas, problemas psicológicos exigem máxima atenção e sempre renovados cuidados”.

“Nesse momento de dor, nos solidarizamos com sua família, amigos e colegas”.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Matheus Carneiro Assunção

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: