Preso no Paraguai, doleiro Bruno Farina já está no Rio

Preso no Paraguai, doleiro Bruno Farina já está no Rio

Bruno Farina pousou no aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, por volta das 15h e deverá ser encaminhado ao presídio de Benfica, na zona norte da cidade, ainda neste sábado, 29

Marcio Dolzan / RIO

29 de dezembro de 2018 | 20h46

Bruno Farina. Foto: Secretaria Nacional de Inteligência do Paraguai

O doleiro Bruno Farina, preso no Paraguai há dois dias pela Interpol, chegou ao Rio durante à tarde e deverá ser encaminhado ao presídio de Benfica, na zona norte da cidade, ainda neste sábado, 29. Farina é sócio de Dario Messer, chamado pelo Ministério Público Federal (MPF) brasileiro de “doleiro dos doleiros”, e foi um dos 62 denunciados da ‘Operação Câmbio, Desligo’, desdobramento da Lava-Jato, deflagrada em maio.

Documento

Bruno Farina pousou no aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, por volta das 15h. Ele saiu do Paraguai pela manhã em avião da Polícia Federal, que ainda fez em escala em Foz do Iguaçu para procedimentos de imigração.

Ao chegar à capital fluminense, o doleiro foi encaminhado à sede da Polícia Federal, na região portuária. Ele passaria por exame de corpo de delito e depois seria encaminhado ao presídio de Benfica.

O doleiro era procurado por suspeita dos crimes de corrupção ativa, passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Segundo denúncia do MPF, o grupo atuava desde a década de 1990. Dentre os denunciados também está o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, que já foi condenado a mais de 197 anos de prisão.

O Estado não conseguiu contato com a defesa de Farina.