Presidente de Tribunal se declara suspeito em recurso da AGU por Cristiane Brasil

Presidente de Tribunal se declara suspeito em recurso da AGU por Cristiane Brasil

Desembargador federal André Fontes e encaminhou ao vice, Guilherme Couto de Castro, apelação da Advocacia Geral da União contra decisão que suspendeu nomeação da deputada ao Ministério do Trabalho

Rafael Moraes Moura Amanda Pupo/BRASÍLIA

09 Janeiro 2018 | 14h04

Cristiane Brasil (PTB RJ).
Foto: João Ricardo /PTB

BRASÍLIA – O presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), desembargador federal André Fontes, se declarou nesta terça-feira (9) suspeito ao analisar recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) à decisão do juiz federal Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói (RJ), que suspendeu a nomeação e a cerimônia de posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) como nova ministra do Trabalho do governo Michel Temer.

+ AGU vê ‘grave lesão à ordem pública’ e tenta manter posse de Cristiane Brasil
+ Advogados tentam barrar posse de Cristiane Brasil como ministra do Trabalho

“Declaro-me suspeito. Remeta-se, com urgência, ao Vice-Presidente desta Corte Regional”, determinou o presidente do TRF-2. Agora caberá ao vice-presidente do TRF-2, desembargador federal Guilherme Couto de Castro, analisar o caso.

+ Suplente de Cristiane Brasil na Câmara é ex-presidiário e irmão de Garotinho
+ Cristiane Brasil é nomeada ministra do Trabalho

SEPARAÇÃO. Ao recorrer ao TRF-2, a Advocacia-Geral da União (AGU) afirmou que a decisão do juiz federal gerará uma grave lesão à ordem pública e à ordem administrativa, e que ela interfere na separação de poderes.

A AGU destacou que a decisão do juiz da 4.ª Vara Federal Criminal de Niterói de suspender a posse da deputada, usurpa a “competência legitimamente concedida ao Poder Executivo, além de ferir diversos dispositivos legais, colocando em risco a normalidade institucional do País”.