Prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira (PMDB) é preso por suspeita de corrupção

Chefe do Executivo foi denunciado pelo Ministério Público por organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro; na quarta-feira força-tarefa prendeu seu pai e outras quatro pessoas suspeitas de integrarem esquema de desapropriações

Por Guilherme Mazieiro, especial para o Estado

24 de junho de 2016 | 02h16

O prefeito de Indaiatuba afastado Reinaldo Nogueira (PMDB) foi preso na tarde desta quinta-feira, 23, durante operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público com apoio do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep). Na manhã de quarta, 22, a força-tarefa prendeu seu pai, Leonício Lopes da Cruz, e outras quatro pessoas no município. A Promotoria denunciou na segunda-feira, 20, o prefeito por organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro. A denúncia ainda não foi recebida.

A ordem de prisão foi decretada pelo desembargador Hermann Herschander, do Tribunal de Justiça do Estado. O caso corre em segredo de Justiça na 14ª Câmara de Direito Criminal. A suspeita da Promotoria é que o grupo comandava um esquema de fraudes em desapropriações de terrenos na cidade, localizada na região de Campinas.

O prefeito estava em sua casa e não resistiu à prisão preventiva. Durante a tarde desta quinta ele foi conduzido à 1ª Delegacia Seccional de Campinas. “O processo tramita em segredo de justiça em razão de provas que foram produzidas como interceptações telefônicas, quebra de sigilo fiscal. São circunstâncias que a lei impõe sigilo”, disse o promotor do caso, José Cláudio Baglio.

Em outubro do ano passado, na primeira fase da operação, foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão, em Indaiatuba. Foram localizados cerca de R$ 1,5 milhão em dinheiro vivo na casa do prefeito. Outros R$ 400 mil estavam na prefeitura daquele município. À época, Reinaldo Nogueira afirmou que o dinheiro não tinha relação com sua atuação política e era de origem lícita.

Nogueira foi reeleito prefeito de Indaiatuba com cerca de 65% dos votos válidos, em 2012. Em sua trajetória política já foi vereador, em 1992, prefeito nos mandatos de 1997 e 2000, e deputado estadual em 2006.

A prefeitura de Indaiatuba foi procurada pela reportagem, mas ainda não se posicionou.

O criminalista José Luis Oliveira Lima, que defende o prefeito, disse que não há nos autos nada que justifique a prisão do peemedebista.

Tudo o que sabemos sobre:

indaiatuba

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.