Por que você deveria doar dinheiro para uma campanha eleitoral este ano

Por que você deveria doar dinheiro para uma campanha eleitoral este ano

Fernanda Gomes*

19 de setembro de 2020 | 11h00

Fernanda Gomes. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Muito se fala sobre “nova política” ou “renovação”. Palavras da moda que muitas vezes não carregam exatamente tudo que prometem. São teorias cheias de jargões utilizados como estratégias de campanha, mas não necessariamente o discurso se converte em prática.

Os políticos de hoje prometem que quando eleitos farão diferente. Mas esquecem que a sua trajetória já começa na campanha. A campanha diz muito sobre o que esse político será no futuro, mas infelizmente essa etapa ainda é invisível para muita gente.

No entanto é nessa etapa que algo muito importante acontece: o financiamento de uma campanha eleitoral. É nessa etapa que devemos analisar quais alianças esse político está fazendo e quem está financiando essa campanha. O total de dinheiro não é o mais importante aqui, mas a origem dele sim.

E quando a gente fala de financiamento de campanha tem algo importante que é bom esclarecer: hoje, no Brasil, não se faz uma campanha política bem sucedida sem dinheiro. Depois dessa informação tenho certeza que alguém vai falar “mas fulano fez com quase nenhum dinheiro”. Sim, mas foi uma exceção e não a regra. Os números são claros. Hoje, você precisa de dinheiro para ter uma campanha competitiva.

E aí entra a questão: de onde vem esse dinheiro?  Se vem de muitas pessoas, em uma mobilização coletiva, isso é muito mais saudável para nossa democracia. É muito melhor que a gente tenha mil pessoas doando R$ 20 do que uma só pessoa doando R$20 mil. Veja, a quantidade é a mesma, mas a composição muda tudo.

O financiamento coletivo hoje é um instrumento poderosíssimo de fortalecimento da nossa democracia. É através dessa mobilização e engajamento coletivo que podemos começar a construir uma política diferente, muito antes do dia das eleições. Se queremos uma democracia representativa forte precisamos acabar com a ideia que votar já é o suficiente. Apoiar uma candidatura para que ela seja de fato competitiva é extremamente necessário hoje no Brasil.

Se você quer mudança de verdade na política, não adianta ficar só reclamando, precisamos transformar essa insatisfação em movimento, em ação. E uma ação muito relevante, mas também muitas vezes deixada de lado, é doar, nem que sejam poucos reais, no candidato que você acredita que pode defender as suas ideias.

Tem uma ideia que eu gosto e acredito muito que é: o mundo não precisa de poucas pessoas se esforçando muito, não é que por aí que as reais transformações acontecem. Precisamos de muita gente fazendo pelo menos um pouco. E é interessante notar que o financiamento coletivo diz muito sobre isso. Ele só vale a pena ser feito em candidaturas que realmente acreditem nesse conceito, que realmente acreditem que a boa política se constrói na mobilização coletiva da sociedade. É por isso que muita gente doando poucos reais fazem de uma campanha muito mais do que um simples discurso, ajuda a transformar a nossa sociedade e a nossa maneira de fazer política.

Pouca gente doando muito a gente já sabe no que dá. Chegou a hora de inverter a lógica das coisas. Chegou a hora de transformar o discurso em prática e de realmente fazer uma nova política.

*Fernanda Gomes é formada em comunicação social, pós-graduada em administração e cursa uma especialização em políticas públicas e projetos sociais. É também formada em política pelo Renova BR, fundadora do projeto Existe Ler em SP e do Movimento Participa e embaixadora do mandato da deputada estadual Marina Helou (Rede-SP)

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoEleições 2020

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: