Por que Toffoli frustrou Zé Dirceu, cada vez mais perto da cadeia da Lava Jato

Por que Toffoli frustrou Zé Dirceu, cada vez mais perto da cadeia da Lava Jato

Leia a íntegra da decisão do ministro do Supremo que negou liminar em Reclamação de ex-homem forte do Governo Lula para suspender processo em curso no TRF-4, no qual petista foi condenado a 30 anos e nove meses de reclusão

Da Redação

20 de abril de 2018 | 15h22

/ AFP PHOTO / Victoria Silva

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, negou liminar em autos de Reclamação nesta quinta-feira, 19, requerida pelo ex-ministro José Dirceu – condenado a 30 anos e nove meses de reclusão na Operação Lava Jato -, que pretendia suspender a tramitação do processo contra ele no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) e neutralizar a decretação de sua prisão em decorrência do esgotamento de recursos naquela instância.

Documento

No entendimento do ministro, as alegações da defesa do ex-homem forte do governo Lula, devem ser submetidas ao crivo da Segunda Turma, que concedeu ordem de habeas corpus a Dirceu em maio de 2017.

Na quinta-feira, 19, por unanimidade, os desembargadores do TRF-4 negaram embargos infringentes de Dirceu, colocando- muito perto da volta à prisão da Lava Jato.

Ainda cabe ao petista mais um recurso, embargos de declaração. Ao fecharem o julgamento desta quinta, os magistrados já decidiram que a pena contra Dirceu será executada tão logo esgotados os recursos de competência do TRF-4.

Dirceu foi preso em caráter preventivo em agosto de 2015 por ordem do juiz federal Sérgio Moro. Em maio do ano passado, o Supremo – 2.ª Turma – soltou o ex-ministro do Governo Lula (Casa Civil).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.