Por que o governador Robinson é alvo da PF

Por que o governador Robinson é alvo da PF

Leia a decisão do ministro Raul Araújo, da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça, que autorizou buscas na residência do chefe do Executivo do Rio Grande do Norte, sob suspeita de tentar comprar o silêncio de um delator, e a prisão de dois assessores de confiança dele

Fabio Fabrini, Luiz Vassallo e Julia Affonso

15 Agosto 2017 | 21h11

Robson Faria. Foto: Divulgação

O governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria (PSD) é o principal alvo da Operação Anteros, da Polícia Federal, por suspeita de obstrução de Justiça – ele teria tentado comprar o silêncio de um delator. Nesta terça-feira, 15, agentes federais fizeram buscas em dois endereços de Robinson em Natal e também na sede do Governo potiguar e na Assembleia Legislativa do Estado, Casa que ele presidiu entre 2003 e 2010.

A investigação foi aberta por ordem da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça – como governador, Robinson detém foro privilegiado na Corte.

O ministro Raul Araújo Filho também decretou a prisão temporária de dois assessores de confiança do governador, Adelson Freitas dos Reis e Magali Cristina da Silva, funcionários da Assembleia.

A Operação Anteros tem raiz em outra missão, a Dama de Espadas – investigação sobre funcionários fantasmas na Assembleia.

VEJA A DECISÃO:

 

Mais conteúdo sobre:

Robinson Faria