Por que Moro mandou prender Mantega

Por que Moro mandou prender Mantega

Juiz da Lava Jato decretou a prisão temporária do ex-ministro da Fazenda; Ministério Público Federal havia pedido a custódia preventiva

Ricardo Brandt, Fausto Macedo, Julia Affonso e Mateus Coutinho

22 de setembro de 2016 | 10h00

mandadoprisaomantega

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 22, a Arquivo X, 34ª fase da Operação Lava Jato.

Documento

Documento

O ex-ministro Guido Mantega foi preso temporariamente. Ele não estava em sua residência, alvo de busca e apreensão, mas no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde acompanhava a mulher em uma cirurgia. Segundo a PF, Mantega se entregou na portaria do hospital.

A Procuradoria da República, no Paraná, informou que o empresário Eike Batista, ex-presidente do Conselho de Administração da OSX, prestou depoimento ao Ministério Público Federal. Segundo a força-tarefa da Operação Lava Jato, Eike Batista declarou que, em 1 de novembro de 2012, recebeu pedido de um então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões, no interesse do PT.

Mantega é suspeito de atuar para arrecadar propinas para o PT em 2012 em contratos de duas plataformas, P67 e P70.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoGuido Mantega

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.