Sem recuo de Bolsonaro, policiais federais investem em protestos locais para prolongar pressão contra o governo

Sem recuo de Bolsonaro, policiais federais investem em protestos locais para prolongar pressão contra o governo

Com nova estratégia, servidores planejam mobilizações em superintendências, delegacias, portos, aeroportos e postos da Polícia Federal

Rayssa Motta

24 de maio de 2022 | 17h49

Policiais federais em protesto do Ceará contra o presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução

Inconformados com o presidente Jair Bolsonaro (PL), policiais federais começaram a colocar em prática nesta terça-feira, 24, uma nova estratégia para pressionar o governo. A ideia a partir de agora é organizar manifestações pontuais e, com isso, prolongar as mobilizações em busca da reestruturação da Polícia Federal (PF). Uma das principais bandeiras é uma recomposição de salários mais ampla que o reajuste de 5% anunciado para todo o funcionalismo federal.

No mês passado, associações de classe já haviam organizado protestos simultâneos em todo o País. Sem um recuo do governo, os policiais reavaliaram a tática e decidiram investir em atos regionais para manter o fôlego das investidas por mais tempo.

As mobilizações estão sendo organizadas em superintendências, delegacias, portos, aeroportos e postos da PF. Outra reação é a redução na análise dos pedidos de porte de armas, uma das promessas de campanha do presidente.

O primeiro protesto foi organizado mais cedo na porta da superintendência da Polícia Federal no Ceará. O ato teve faixas cobrando que Bolsonaro “honre a palavra” e “cumpra a promessa de valorização” dos servidores da corporação.

Te salvamos da facada e agora vai nos esfaquear pelas costas?“, dizia uma das faixas do protesto.

Houve ainda paralisações e mobilizações em frente a aeroportos no Amapá e no Rio de Janeiro.

O delegado federal Luciano Leiro, presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), disse que “causa estranheza” que a corporação, “responsável por investigações que dizem respeito ao governo, esteja sendo constantemente desvalorizada”

“Como se fosse uma retaliação contra à PF”, afirma. “É preocupante observar o tratamento que o presidente da República tem dado à Polícia Federal e aos policiais federais.”

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia FederalJair Bolsonaro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.