Polícia prende três por assassinato a facadas de cantora do Kaoma

Polícia prende três por assassinato a facadas de cantora do Kaoma

Corpo de Loalwa Braz Vieira, que fez sucesso com 'Chorando se foi', estava dentro de seu próprio carro incendiado em Saquarema, no Rio

Julia Affonso

19 de janeiro de 2017 | 21h15

A cantora Loalwa Braz Vieira, do grupo Kaoma. Foto: Reprodução/Facebook

A cantora Loalwa Braz Vieira, do grupo Kaoma. Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil do Rio informou nesta quinta-feira, 19, que prendeu em flagrante três suspeitos do assassinato da cantora Loalwa Braz Vieira, a Kaoma. Segundo a Polícia, Wallace de Paula Vieira, de 23 anos, Gabriel Ferreira dos Santos, 21, e Lucas Silva de Lima, 18, foram autuados por latrocínio – matar para roubar. A pena máxima prevista para esse crime é de 30 anos.

A cantora ganhou fama com o hit ‘Chorando se Foi’. Ela fez parte do grupo Kaoma.

Segundo o delegado Leonardo Luis Macharet, titular da 124.ª Delegacia, na manhã desta quinta os policiais foram comunicados de um incêndio na pousada Azur, na Estrada da Barreira, em Saquarema. Pouco depois, os policiais foram informados que o carro da cantora teria sido encontrado a um quilômetro da pousada, com um corpo carbonizado em seu interior.

A polícia informou que foi feita perícia no local e o corpo removido para o Instituto Médico Legal ‘para apuração da causa da morte e identificação’.

“Através das investigações, a Polícia Civil descobriu que no final da noite do dia anterior, Wallace, Gabriel e Lucas chegaram à pousada Azur, arrombaram a porta de entrada e imobilizaram a cantora Loalwa, proprietária do estabelecimento. A cantora tentou reagir à ação dos criminosos, entrando em luta corporal com eles, contudo, foi agredida com pauladas e golpes de faca até o momento em que ela desmaiou. Então, os criminosos arrastaram a vítima até seu veículo que estava estacionado no terreno da pousada”, diz nota da Polícia Civil.

Segundo a Polícia, os suspeitos furtaram objetos de valor de Loalwa e a levaram desmaiada em seu carro até uma rua próxima à pousada, onde o veículo apresentou pane. Eles teriam, então, ateado fogo ao veículo com a cantora no seu interior.

De acordo com a Polícia, Wallace foi ouvido na delegacia.

“Inicialmente ele se apresentou como testemunha e relatou ser o caseiro da propriedade e ter presenciado todo o crime. Narrou que estava presente quando criminosos chegaram à pousada, realizaram o roubo e, em seguida, o sequestro da cantora. Contudo, enquanto estava sendo ouvido, surgiram diversas contradições em seu depoimento e, então, Wallace ao perceber que seria descoberto, resolveu confessar o crime”, aponta nota.

“Prosseguindo com as diligências, a equipe da 124ª DP conseguiu identificar e localizar o segundo envolvido no crime, Gabriel Ferreira dos Santos. Ele foi preso no Centro de Bacaxá. Com ele foram encontrados o telefone celular e o cartão bancário da vítima. Em diligências realizadas, os policiais localizaram e apreenderam a faca e o pedaço de madeira utilizados pelos autores para golpear a vítima. No início desta noite, foi localizado e preso o terceiro envolvido, Lucas Silva de Lima, em Guarani, em Saquarema.”

Mais conteúdo sobre:

KaomaLoalwa Braz Vieira