Polícia prende ‘Taradão’, mandante do assassinato de Dorothy Stang

Polícia prende ‘Taradão’, mandante do assassinato de Dorothy Stang

Fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão teve custódia decretada após condenação pela morte da missionária norte-americana em Anapu, no Pará, em 2005

André Borges/BRASÍLIA

17 de abril de 2019 | 11h50

Dorothy Stang. Foto: Carlos Silva/AE/Reuters

A Polícia Civil do Pará informou que prendeu nesta terça-feira, 16, em Altamira, o fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, o ‘Taradão’, que teve a prisão decretada pela Justiça após condenação como mandante do assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang. O crime ocorreu em Anapu, no Pará, em 2005.

Policiais civis da Superintendência Regional do Xingu e das Delegacias de Homicídios (DH) e de Conflitos Agrários (DECA) de Altamira receberam o mandado de prisão de Regivaldo, encaminhado pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE).

Regivaldo, conhecido como “Taradão”, foi localizado em sua casa, em Altamira. Ele foi conduzido para a sede da Superintendência Regional da Polícia Civil, no município, onde vai permanecer no aguardo de transferência para a prisão.

Regivaldo Galvão foi condenado a 30 anos de reclusão em 30 de abril de 2010, como mandante do assassinato de Dorothy Stang. A condenação foi mantida em segunda instância, e a pena chegou a ser reduzida para 25 anos pelo Superior Tribunal de Justiça, que autorizou a prisão em 2017.

Tudo o que sabemos sobre:

Dorothy StangPolícia CivilPará

Tendências: