Polícia prende Klinger por propina no governo Celso Daniel

Polícia prende Klinger por propina no governo Celso Daniel

Ex-vereador de Santo André, condenado por suposto envolvimento em esquema de corrupção na administração do ex-prefeito petista, estava foragido; ele foi detido enquanto fazia uma caminhada

Fausto Macedo

25 de dezembro de 2018 | 16h10

Klinger Oliveira Souza. Foto: Celso Júnior/AE

Foi preso nesta terça-feira de Natal pela Polícia Militar em Santo André o ex-vereador Klinger Oliveira Souza. Foragido desde novembro de 2017, Klinger foi detido enquanto fazia uma caminhada na Avenida Portugal, no município da Grande São Paulo.

Em boletim de ocorrência, o delegado da Polícia Civil Eduardo Buoro Ribeiro relatou que, durante patrulhamento, a Polícia Militar identificou um veículo em ‘atitudes suspeitas’. Segundo o relatório, ‘em minuciosa busca, nada de ilícito foi encontrado’, apenas um atraso no licenciamento, ‘o que gerou medidas administrativas já aplicadas’.

“Em pesquisa ao banco de dados dos ocupantes do veículo, foi retornado que Klinger Luiz de Oliveira Souza constava como procurado no sistema e que em seu desfavor fora expedido mandado de prisão na data de 22 de dezembro de 2018”, narrou o delegado.

“Diante de tal informação, Klinger foi conduzido a esta distrital, sendo apresentado a autoridade de plantão que deliberou pela elaboração do referido registro.”

O boletim de ocorrência relatou ainda que Klinger seria levado à cadeia pública para ficar à disposição da Justiça.

Klinger, ex-secretário de Serviços Urbanos, foi condenado com o empresário Ronan Maria Pinto, por suposto envolvimento em esquema de corrupção instalado no setor de transportes públicos de Santo André, gestão do ex-prefeito Celso Daniel (PT), executado a tiros em janeiro de 2002.

Ronan está preso há pouco mais de um ano. Esta denúncia foi a primeira da Promotoria contra o esquema instalado no governo Celso Daniel.

O petista foi eliminado à bala em uma estrada de terra de Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

A Promotoria sustenta até hoje que Celso Daniel foi vítima de uma trama do próprio PT porque havia decidido dar um fim no esquema de corrupção que teria abastecido o caixa do partido. O PT nega.

O Tribunal de Justiça reconheceu existência de dois crimes de concussão – extorsão praticada por funcionário público, caso de Klinger, vereador à época.

A reportagem está tentando contato com a defesa de Klinger. O espaço está aberto para manifestação.

Mais conteúdo sobre:

Celso DanielSanto André