Polícia prende homem forte de Roseana Sarney

João Abreu, sob suspeita de recebimento de propinas em um precatório milionário do Maranhão, foi localizado no aeroporto internacional de São Luís; doleiro Alberto Youssef, da Lava Jato, também é alvo da investigação

Redação

25 de setembro de 2015 | 14h25

João Abre era chefe da Casa Civil do governo Roseana Sarney (acima). Foto: Márcio Fernandes/Estadão

João Abre era chefe da Casa Civil do governo Roseana Sarney (acima). Foto: Márcio Fernandes/Estadão

Por Ricardo Galhardo

O ex-secretário estadual da Casa Civil do Maranhão no governo Roseana Sarney (PMDB) João Abreu foi preso no início da tarde desta sexta-feira, 25, quando desembarcava em São Luís, no aeroporto internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, procedente de um voo de São Paulo. Abreu, que foi o homem forte do governo Roseana, teve a prisão preventiva decretada ontem e foi levado para a Superintendência Estadual de Investigações criminais, onde será interrogado.

Abreu é suspeito de ter recebido R$ 3 milhões em propinas para garantir que o governo maranhense pagaria um precatório de R$ 134 milhões à empresa Constran-UTC. O pagamento teria sido intermediado pelo doleiro Alberto Youssef, pivô da Operação Lava Jato. As investigações do caso começaram na sede da Força-Tarefa da Lava Jato, em Curitiba, mas a defesa recorreu e conseguiu que o caso fosse encaminhado para a Justiça estadual no Maranhão.

O ex-secretário responde a inquérito ao lado do doleiro Alberto Youssef, Rafael Ângulo Lopes e Adarico Negromonte Filho, suspeitos de operar os pagamentos e o corretor Marco Antonio Ziegert, o Marcão, suposto elo entre Yousseff e o governo do Maranhão.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoRoseana Sarney

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: