Polícia prende Dollynho por fraude fiscal

Polícia prende Dollynho por fraude fiscal

Operação conduzida pelo Ministério Público do Estado confisca helicópteros do dono da fábrica de refrigerantes e leva para a prisão empresário Laerte Codonho

Fausto Macedo e Julia Affonso

10 Maio 2018 | 11h27

Laerte Codonho. Foto: Felipe Rau/Estadão

A Polícia prendeu nesta quinta-feira, 10, o empresário Laerte Codonho, dono da fábrica de refrigerantes Dolly, por suspeita de fraude fiscal continuada e estruturada, sonegação, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Codonho foi preso em sua residência no município de Cotia, Grande São Paulo, e removido para o 77.º Distrito Policial, no bairro de Santa Cecília. A Justiça decretou a prisão temporária do empresário.

 FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

O Ministério Público, que conduz a investigação por meio do Gedec – braço da Promotoria que combate delitos contra a ordem econômica -, informou que foram confiscados helicópteros supostamente adquiridos pela Dolly com recursos provenientes da fraude.

Os investigadores estimam em pelo menos R$ 4 bilhões o volume de fraudes fiscais.

Segundo o Ministério Público, a operação que pegou o dono do Grupo Dolly decorre de Procedimento Investigatório Criminal instaurado no Gedec – Grupo Especial de Delitos Econômicos – ‘com o objetivo de apurar graves crimes de organização criminosa, fraude fiscal estruturada e lavagem de capitais, cometidos, em tese, por integrantes do grupo econômico liderado por Laerte Codonho’.

Helicóptero apreendido. foto: PF

A promotoria informou que a 4.ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo autorizou medidas cautelares de busca e apreensão, sequestro de bens, quebra do sigilo fiscal e bancário, além de prisões temporárias.
Segundo o Ministério Público, ações cautelares ajuizadas pela Procuradoria-Geral do Estado e Procuradoria da Fazenda Nacional buscam, no âmbito fiscal, a recuperação de ativos de bens do grupo econômico, ‘responsável por débitos fiscais bilionários já constituídos’.

Laerte Codonho. 2004. FOTO MONICA ZARATTINI/AE

“Tais instituições, no âmbito de suas atribuições, atuam em cooperação buscando a apuração dos fatos e recuperação de ativos.”

A Promotoria informou que nas buscas realizadas nesta quinta-feira, 10, foram apreendidos documentos e cumprida ordem de sequestro de helicópteros.

COM A PALAVRA, A DEFESA

“Em relação à prisão temporária do empresário Laerte Codonho, detentor da marca Dolly, reforçamos que a prisão é injusta.

Laerte Codonho sempre colaborou com as autoridades, e tem certeza que provará sua inocência. A defesa recorrerá da decisão e confia na Justiça.”

Mais conteúdo sobre:

Dolly