Polícia de SP prende 14 por roubo de 2 milhões de máscaras e 15 mil testes de coronavírus

Polícia de SP prende 14 por roubo de 2 milhões de máscaras e 15 mil testes de coronavírus

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, quadrilha de chineses agiu no aeroporto de Guarulhos e assaltantes guardavam os materiais em um galpão no bairro do Ipiranga, zona sul da Capital

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

11 de abril de 2020 | 19h22

Imagem da Polícia recolhendo o material apreendido. Foto: Polícia Civil

*Atualizada às 13h deste domingo, 12, para balanço final de presos e armas apreendidas

Policiais do Departamento de Operações Estratégicas (Dope) detiveram, neste sábado, 11, mais de 14 suspeitos de integrar uma quadrilha que roubou 15 mil testes para COVID-19 e 2 milhões de máscaras, macacões e outros EPIs do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Segundo a Polícia, eles guardavam os materiais em um galpão no bairro do Ipiranga, zona sul da Capital.

O líder da quadrilha, segundo a Polícia, é Zheng Xiao Yun, que se apresentou como representante da Associação Xangai no Brasil. Também conhecido como Marcos Zheng, já chegou a ser condenado pela Justiça Federal de São Paulo por supostamente tentar entrar com relógios falsificados no Brasil, junto de sua esposa, Catarina, em 2003. Em razão da prescrição, o processo foi extinto pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

Também já foi alvo de atentados. Dois chineses, um deles seu ex-sócio, respondem por ação de homicídio. Segundo a denúncia, eles teriam planejado a morte da esposa de Zheng, mas acabaram matando outra mulher por engano. O empresário conseguiu escapar. A reportagem busca contato com sua defesa.

A operação

No local, foram apreendidas também armas de grosso calibre, como uma carabina calibre 40, uma espingarda calibre 12 e três pistolas calibre 38. As máscaras e os testes foram roubados nesta segunda, 6. O delegado titular da 3ª Delegacia de Polícia de Atendimento ao Turista, Luís Alberto Guerra se apresentou aos criminosos como um interessado em comprar a carga. O valor foi acertado em R$ 3 milhões.

Neste sábado, 11, data da entrega, o local foi cercado pela polícia e dez chineses foram detidos em flagrante.

Foto: Polícia Civil

“As máscaras estavam no depósito, e foram apreendidas, já que eles não conseguiram comprovar a origem. O lote apreendido confere com aquele que foi roubado no Aeroporto de Guarulhos. Chegamos até esse grupo porque, depois do roubo, eles começaram a se apresentar como vendedores da carga na praça. Foi então que o delegado Guerra se passou por um interessado e acertou a entrega com eles”, afirmou o delegado Oswaldo Nico, do Departamento de Operações Estratégicas (Dope) ao Estado.

Foto: Polícia Civil

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: