Polícia na Paraíba prende onze vereadores de Santa Rita por passeio em Gramado

Polícia na Paraíba prende onze vereadores de Santa Rita por passeio em Gramado

Operação 'Natal Luz', deflagrada na madrugada desta terça, 5, investiga parlamentares do município da Grande João Pessoa por uso de recursos públicos para viagem ao Sul do País sob justificativa de 'seminário' que não teria ocorrido

Pepita Ortega e Fausto Macedo

05 de novembro de 2019 | 12h12

A Câmara Municipal de Santa Rita, na Paraíba. Foto: Google Maps

A Promotoria e a Polícia da Paraíba prenderam nesta terça, 5, onze vereadores da Câmara de Santa Rita, na Grande João Pessoa, por suspeita de peculato. A Operação ‘Natal Luz‘, sob comando dos promotores do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), braço do Ministério Público do Estado, investiga os parlamentares pelo suposto uso de recursos públicos para bancar despesas com uma longa viagem do grupo a Gramado, no Sul do País, sob a justificativa de que iriam participar de um seminário.

A reportagem do Estadão fez contato com a Câmara de Santa Rita. O espaço está aberto para manifestação da presidência da Casa e da defesa ou assessoria de todos os vereadores presos.

Durante as oitivas, nenhum vereador prestou algum tipo de declaração e permaneceram calados, conforme apuraram os repórteres Cógenes Lira e Edilane Ferreira, do portal Paraíba Já.

Eles foram detidos ainda durante a madrugada desta terça, 5, quando se deslocavam do Recife – onde desembarcaram do voo do Sul – até Santa Rita. O presidente da Câmara, Anésio Alves de Miranda Filho, também foi capturado.

Hotel Villa Aconchego, em Gramado, onde supostamente ocorreu o evento. Foto: Cógenes Lira e Edilane Ferreira/Paraíba Já

Santa Rita, com cerca de 135 mil habitantes, fica na região metropolitana de João Pessoa.

‘Natal Luz’ constatou que a viagem a Gramado custou quase R$ 70 mil aos cofres da Câmara de Santa Rita. Dados oficiais indicam que apenas em diárias os vereadores paraibanos gastaram R$ 507 mil ao longo do ano.

Hotel Villa Aconchego, em Gramado, onde supostamente ocorreu o evento. Foto: Cógenes Lira e Edilane Ferreira/Paraíba Já

A Polícia investiga os vereadores por suposto desvio de recursos públicos ‘para fins pessoais’. O delegado Alan Térruel dirige a investigação.

A suspeita da Polícia é que o evento em Gramado não teria sido realizado. A pista foi uma mensagem da palestrante nas redes sociais. Ela iria falar aos vereadores paraibanos, mas postou foto sua no Ceará.

Hotel Villa Aconchego, em Gramado, onde supostamente ocorreu o evento. Foto: Cógenes Lira e Edilane Ferreira/Paraíba Já

A Polícia foi alertada por moradores de Santa Rita sobre as viagens dos vereadores. Indignados, eles procuraram a polícia e o Ministério Público.

A investigação mostra que o encontro de Gramado teria sido produzido ‘sob encomenda’, ou seja, exclusivamente para os próprios políticos.

A Polícia reuniu informações de que foram muitas viagens realizadas pelos edis de Santa Rita com tudo pago pelos cofres públicos, desde 2017, sempre sob a alegação de participação em seminários.

Em várias ocasiões os políticos viajavam acompanhados de suas mulheres e de outros familiares.

OS VEREADORES PRESOS SÃO:

  1. Anesio Alves de Miranda Filho
  2. Roseli Diniz Silva
  3. Ivonete Virginio de Barros
  4. Francisco de Medeiros Silva
  5. Carlos Antônio da Silva
  6. João Evangelista da Silva
  7. Marcos Farias de França
  8. Brunno Inocencio da Nóbrega Silva
  9. Diocélio Ribeiro de Souza
  10. Sérgio Roberto do Nascimento
  11. Francisco Morais de Queiroga

COM A PALAVRA, A DEFESA

A reportagem fez contato com a Câmara de Santa Rita. O espaço está aberto para a Câmara e para a defesa ou assessoria de todos os vereadores presos.

Tudo o que sabemos sobre:

peculatoParaíba [estado]Gramado [RS]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: