Polícia investiga homem por ‘abuso sexual’ e esquartejamento de cachorra

Polícia investiga homem por ‘abuso sexual’ e esquartejamento de cachorra

Crime teria ocorrido na noite de 21 de abril em Araraquara, interior de São Paulo; André Almeida Santos também é acusado de perseguir jornalistas e vizinhos com uma faca

Luiz Vassallo

01 de maio de 2019 | 14h36

A Polícia Civil em Araraquara, no interior de São Paulo, investiga um homem de 31 anos sob acusação de esquartejar uma cachorra e por correr atrás de seus vizinhos e jornalistas com uma faca. Testemunhas ainda disseram à Polícia suspeitar de que ele tenha ‘abusado sexualmente’ do animal. Oficialmente, ele é alvo de inquérito por abuso a animais e tentativa de homicídio.

O caso foi revelado pelo Portal Morada e confirmado pelo Estado. Em clima de comoção, manifestantes protestaram contra o crime na terça, 30.

No dia 21, duas vizinhas afirmaram à Polícia terem visto André Almeida Santos chegar com a cadela em casa.

Segundo consta no boletim de ocorrência, elas ‘acharam estranho e o indagaram a respeito do animal, acreditando que ele poderia praticar ato de zoofilia, a que ele respondeu deixando dúvidas quanto à sua intenção, dizendo não haver diferença entre uma pessoa e um animal’.

“Mesmo estranhando tal fato, os deixou, sendo que passou a ouvir ganidos”, consta do Boletim de Ocorrência.

As testemunhas afirmam que, ‘após o fim dos gritos de sofrimento da cachorra, o viram sair com um saco, dentro do qual acreditavam ter sido depositado seu cadáver’.

André teria confessado que matou a cachorra com uma faca, o que ficou registrado em mensagens entre ele e testemunhas que conversavam com ele.

No dia seguinte, a investigação caiu em domínio público na cidade e foi noticiada pelo Portal Morada. A equipe de reportagem foi ameaçada por ele com uma faca. Suas vizinhas também.

A cidade está assustada. O dono da cachorra chegou a discursar durante protesto, pedindo ‘punição severa ao assassino’.

Tendências: