Cuidado com falsos descontos e desconfie de preços muito baixos na Black Friday, alerta a Polícia de São Paulo

Cuidado com falsos descontos e desconfie de preços muito baixos na Black Friday, alerta a Polícia de São Paulo

Não clicar em links desconhecidos e buscar pela reputação da empresa estão entre as dicas

Maria Isabel Miqueletto

17 de novembro de 2021 | 15h27

A Polícia Civil de São Paulo alerta para os golpes na Black Friday. Foto: Unsplash

Com a chegada do fim de ano, muitos consumidores aproveitam a Black Friday, período de descontos atrativos no comércio, para fazer as compras das festividades. Com tantas ofertas, é preciso redobrar os cuidados para evitar fraudes, alerta a Polícia Civil do Estado de São Paulo, que preparou dicas de segurança para auxiliar a população na hora das compras.

Aos que já têm em mente alguma aquisição específica para fazer, a recomendação é acompanhar, com antecedência, o preço médio dos produtos ou serviços para avaliar se a promoção no período da Black Friday é, de fato, real.

Há empresas que sobem o valor do produto antes do período de descontos e depois voltam aos preços normais, fingindo um falso desconto. É preciso atenção, também, às que baixam o valor dos produtos, mas compensam a diferença no frete.

Outra dica é comparar os valores promocionais com os de outras lojas virtuais antes de realizar a compra – e desconfiar de preços muito abaixo do mercado. Existem sites comparadores de preço que podem auxiliar nisso. Quando possível, é preferível optar pela utilização do aplicativo da loja.

Antes de finalizar uma compra online é importante avaliar a reputação da loja. Mais do que procurar saber sobre a ‘imagem’ da empresa, os consumidores devem verificar se ela é legalizada – é possível fazer isso analisando comentários e verificando links suspeitos nos perfis das redes sociais do estabelecimento.

O cuidado deve ser estendido, ainda, à abertura de e-mails ou mensagens de promoções. Esses conteúdos podem conter softwares maliciosos que capturam as informações do dispositivo eletrônico utilizado para acessá-los, como dados bancários e senhas. Para evitar esse risco, a indicação é visualizar o produto direto pelo site oficial da loja.

Na hora de pagar, é essencial conferir o beneficiário do pagamento, jamais fornecer senhas pessoais e preferir utilizar cartões virtuais – aqueles que são utilizados em apenas uma compra. Para isso, basta acessar o aplicativo do banco e seguir as orientações.

Todas essas dicas ajudam a prevenir golpes de estelionatários. Se ainda assim, você for vítima, compareça à delegacia mais próxima ou acesse a Delegacia Eletrônica e, munido de provas, registre os fatos para que a Polícia Civil inicie as investigações.

Tudo o que sabemos sobre:

Black Friday

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.