Piloto foi achacado por dois agentes do Deic, mostra grampo

Oliveira Junior havia transportado 650 quilos de cocaína para São Paulo e Rio em 18 de janeiro de 2013, segundo a Polícia Federal

Redação

05 de junho de 2015 | 04h30

Por Marcelo Godoy e Fausto Macedo

Antes de ser preso em Brejetuba, o piloto Alexandre José de Oliveira Junior passou a ser achacado por policiais civis de São Paulo. Identificados como Helber e Aroldo, eles trabalhavam no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). 

Oliveira Junior que, segundo a Polícia Federal, havia transportado 650 quilos de cocaína para São Paulo e Rio em 18 de janeiro de 2013, entrou em contato com o chefe em 19 de março de 2013 e indagou sobre os policiais. Os agentes do Deic sabiam do voo, mas em vez de prender o acusado decidiram achacá-lo. De acordo com a PF, o acusado “acabou pagando grande quantia em dinheiro, para não ser molestado”.

Em junho, o piloto voltou a tratar do episódio com o chefe Ronald Roland, por meio de mensagem. Disse que havia descoberto a identidade do informante que o havia entregue ao Deic. “Preciso zerar (matar) ele.” A PF não conseguiu descobrir se o informante foi assassinado.

_________________________________

VEJA TAMBÉM:

+ Quadrilha internacional trouxe cocaína das Farc para o Brasil e mirava África

Brasileiros levavam cocaína das Farc desde a Venezuela para cartéis mexicanos

Amigo de ex-presidente do Paraguai vendeu aviões

Traficantes do México pagavam US$ 5 mi por voo

_________________________________

 

Tudo o que sabemos sobre:

FarcTráfico de drogas

Tendências: