PGR reabre inquérito que apura caixa dois da OAS a Rodrigo Maia

PGR reabre inquérito que apura caixa dois da OAS a Rodrigo Maia

Investigação sigilosa sobre supostos repasses ao presidente da Câmara dos Deputados tem como base delação premiada de funcionários do setor de contabilidade paralela da empreiteira

Camila Turtelli e Breno Pires/Brasília

31 de outubro de 2020 | 14h42

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Foto: Dida Sampaio / Estadão

A Procuradoria-Geral da República (PGR) reabriu uma investigação sobre supostos pagamentos da empreiteira OAS ao presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ). A informação foi revelada pelo jornal O Globo e confirmada pelo Broadcast/Estadão.

O inquérito corre em sigilo e investiga supostos repasses de caixa dois da OAS a Maia, com base na delação premiada de funcionários do setor de contabilidade paralela da empreiteira.

Em setembro do ano passado, o relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, decidiu arquivar trechos da delação premiada do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro que mencionavam o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Humberto Martins, o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), José Múcio Monteiro, e um dos irmãos do presidente do STF, ministro Dias Toffoli.

Os quatro pedidos de arquivamento foram feitos por Raquel Dodge, antes dela deixar o comando da PGR. Na época, segundo o Estadão apurou, ela alegou ao Supremo que, nesses casos, não havia elementos suficientes para justificar a abertura de uma investigação.

A reabertura do inquérito mais de um ano depois do seu arquivamento causou estranheza no entorno de Maia. segundo fontes, o deputado não chegou a ser notificado sobre o caso nesta semana. Procurada, a assessoria de Maia não se pronunciou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: