PGR inclui ex-ministro de Collor em denúncia de corrupção

Pedro Paulo Leoni Ramos é acusado de ser cúmplice do senador alagoano em suborno para viabilizar contratos com a BR Distribuidora

Redação

20 de agosto de 2015 | 19h48

Por Andreza Matais, Fábio Fabrini e Beatriz Bulla, de  Brasília

collorpoliteiadida2

A Procuradoria-Geral da República (PGR) incluiu o empresário e ex-ministro Pedro Paulo Leoni Ramos na denúncia contra o senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), enviada nesta quinta-feira, 20, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Conhecido como “PP”, Leoni é acusado de ser cúmplice do congressista na cobrança de suborno para viabilizar contratos com a BR Distribuidora. Ex-ministro de Assuntos Estratégicos do governo do petebista (1990-1992), ele teria sido um dos operadores de propina de R$ 3 milhões ao senador, supostamente paga por uma rede de postos de combustíveis, em negócio de R$ 300 milhões firmado com a subsidiária da Petrobrás.

Detalhes dessa transação foram dados pelo doleiro Alberto Youssef, um dos delatores da Operação Lava Jato. Ele disse aos investigadores que Leoni transportava dinheiro em espécie para o senador. Ambos foram alvos de buscas da Polícia Federal na Operação Politeia, braço da Lava Jato que apura o envolvimento de políticos em desvios na Petrobrás.
Caso a denúncia seja aceita pelo Supremo, Collor e Leoni vão se tornar réus em ação penal sobre o esquema de corrupção na Petrobrás. Os dois negam participação em ilícitos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.