PGR escala quatro procuradores para integrar Lava Jato em Curitiba

PGR escala quatro procuradores para integrar Lava Jato em Curitiba

O grupo, porém, não receberá pagamento extra e nem mudará de cidade para realizar o trabalho; Equipe da Postalis também receberá novo integrante

Redação

26 de outubro de 2020 | 20h15

A Procuradoria-Geral da República (PGR) designou nesta segunda, 26, quatro procuradores para integrar a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, hoje comandada pelo procurador Alessandro José Fernandes de Oliveira, que assumiu o posto após a saída de Deltan Dallagnol em setembro.

Os novos integrantes são Filipe Andrios Brasil Siviero, Leonardo Gonçalves Juzinskas, Paulo Henrique Cardozo e Ramiro Rockenbach da Silva Matos Teixeira de Almeida, lotados, respectivamente, nas procuradorias da República em Erechim (RS), São João de Meriti (RJ), Oiapoque (AP) e Sergipe. O nome de Cardozo já havia sido ventilado a integrar uma nova força-tarefa paulista da operação.

Sede do Ministério Público Federal (MPF) no Paraná, onde fica a força-tarefa da Lava Jato Curitiba. Foto: MPF-PR / Divulgação

Todos os quatro procuradores haviam respondido a edital publicado pela PGR em julho, que previa a designação de novos membros para as forças-tarefa. O grupo, porém, não receberá pagamento extra e nem mudará de cidade para realizar o trabalho. Eles também devem acumular os casos da Lava Jato com os processos dos ofícios que atuam.

A Lava Jato Paraná tem previsão de continuar os trabalhos até janeiro de 2021 – enquanto isso, a PGR tenta criar um novo modelo para grandes investigações. Uma das ideias é a criação de uma Unidade Nacional de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Unac), divisão que substituiria as forças-tarefa e concentraria poderes na PGR. Outra possibilidade é levar o modelo de Grupos de Atuação Especial (Gaecos) a outros Estados.

A PGR também designou o procurador João Paulo Beserra da Silva, lotado na Procuradoria da República em Jequié (BA), para atuar na força-tarefa da Postalis. Ele dividirá os trabalhos com a procuradora Mirella de Carvalho Aguiar, única integrante da equipe.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.