PGR denuncia Ciro Nogueira e Dudu da Fonte por suposta compra de silêncio

PGR denuncia Ciro Nogueira e Dudu da Fonte por suposta compra de silêncio

Procuradoria-Geral aponta suspeita de que os parlamentares teriam tentado impedir que um ex-assessor do PP colaborasse com as investigações da Lava Jato

Breno Pires/BRASÍLIA

18 Junho 2018 | 22h42

BRASILIA/DF 04/06/2013 NACIONAL SENADOR CIRO NOGUEIRA FOTO Lia de Paula / Agência Senado

A Procuradoria-Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma denúncia sigilosa contra o senador Ciro Nogueira (PP-PI), o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) e o ex-deputado Márcio Junqueira na investigação que apura suposta tentativa de compra de silêncio de um ex-assessor parlamentar.

Os três foram alvos de uma operação deflagrada pela Polícia Federal em abril, com a prisão de Junqueira e o cumprimento de mandados de busca e apreensão no Congresso e em endereços relacionados aos parlamentares.

Na ocasião, a PGR apontava suspeita de que eles teriam tentado impedir que um ex-assessor do PP colaborasse com as investigações da Lava Jato contra eles, o que configuraria obstrução de Justiça. Segundo a PGR, o esquema investigado inclui o pagamento de despesas pessoais, ameaças e até proposta para a mudança do teor de depoimento que incriminaria os alvos da operação de hoje. A suspeita de obstrução à investigação surgiu durante o desenrolar de um inquérito que apurava repasses a políticos do PP por meio de contratos fictícios.

A reportagem não teve acesso à denúncia. A PGR não se manifestou.

Em nota, o advogado de Ciro Nogueira, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, disse que soube pela imprensa da denúncia por obstrução de Justiça e afirmou que “não existe, sequer en passant, qualquer indício que justifique esta acusação tão grave”. “O senador teve seu telefone interceptado e a própria Polícia Federal, em seu relatório de análise, registrou que não foi encontrada nenhuma conversa que pudesse ser tida como suspeita. Na busca e apreensão realizada tanto na residência do senador, quanto em seu gabinete no Senado Federal, absolutamente não foi encontrado nada que merecesse qualquer preocupação. A investigação, antes de produzir qualquer indício para sustentar uma denúncia pelo crime de obstrução, demonstrou a não participação do senador em qualquer tentativa embaraço à investigação”, diz a nota do advogado.

Eduardo da Fonte negou envolvimento em irregularidade. “Reitero que estou à disposição da Justiça para que os fatos sejam esclarecidos o mais rápido possível e que a verdade prevalecerá”, disse o deputado. A defesa de Márcio Junqueira não foi localizada.

DENÚNCIA. Nesta terça-feira (19), a Segunda Turma do STF pode julgar se recebe ou não denúncia apresentada pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o senador Ciro Nogueira. Ele é acusado de solicitar e receber propina no valor de R$ 2 milhões da UTC Engenharia, com base em promessas de favorecer a empreiteira em obras públicas. O senador nega.