PF vê desvio de R$ 10 mi em obra de revitalização da BR 104/Alagoas

PF vê desvio de R$ 10 mi em obra de revitalização da BR 104/Alagoas

Auditoria da Controladoria-Geral da União calcula que prejuízo em contrato do DNIT com um consórcio de empreiteiras pode chegar a R$ 26 milhões e deu base para deflagração da Operação Catabiu, nesta sexta-feira, 11

Fabio Serapião/BRASÍLIA e Julia Affonso

11 Maio 2018 | 11h27

BR 104 – Alagoas. Foto: Google Streetview

A Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União deflagraram nesta sexta-feira, 11, a Operação Catabiu, para apurar desvios em ‘obra de revitalização’ da BR-104 em Alagoas. O dano ao erário é de R$ 10 milhões, mas os investigadores estimam que o valor pode chegar a R$ 26 milhões. A PF cumpre sete mandados de busca e apreensão em Alagoas, Pernambuco e São Paulo.

O contrato e a obra são de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) em Alagoas. O negócio foi firmado entre o DNIT e um consórcio de empresas, para revitalização de aproximadamente 85 quilômetros da rodovia no Estado.

Segundo a PF, na linguagem popular do Nordeste, catabiu corresponde a buracos em estradas que provocam solavancos e sacolejos.

O valor do contrato original, acrescido de reajustes e aditivos, chega a R$ 100 milhões, aproximadamente, valores esses integralmente de origem federal.

As investigações da PF e a auditoria da Controladoria apontam para execução da obra com especificações aquém daquelas contratadas, ‘gerando prejuízos comprovados por laudo pericial da ordem de R$ 10 milhões’.

Os investigadores calculam que o prejuízo ao Tesouro pode alcançar R$ 26 milhões, caso outros indícios já levantados sejam confirmados – simulação na contratação de insumos, subcontratação irregular de partes da obra e não aplicação de multa às empresas contratadas.

A Operação Catabiu mobiliza 36 policiais federais e apoio de auditores da CGU.

Os mandados de buscas estão sendo cumpridos em Alagoas – quatro em Maceió e um em Santana do Ipanema -, além de um em São Paulo e um em Pernambuco.

Mais conteúdo sobre:

Polícia FederalAlagoas