PF rastreia viagens de José Dirceu

PF rastreia viagens de José Dirceu

Lava Jato investiga contratos de consultorias de ex-ministro da Casa Civil no governo Lula para empreiteiras do cartel fora do Brasil

Redação

16 de junho de 2015 | 05h00

Ex-ministro José Dirceu terá que explicar dados de contratos para Lava Jato

Ex-ministro José Dirceu terá que explicar dados de contratos para Lava Jato

Por Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt

A Polícia Federal pediu o rastreamento de todas as viagens feitas ao exterior pelo ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. Ele é investigado nos processos da Operação Lava Jato por consultorias prestadas e recebimentos milionários de empreiteiras do cartel, acusado de corrupção na Petrobrás.

memorando pede pesquisa viagens dirceu

“Expeça-se solicitação de pesquisa das viagens ao exterior de José Dirceu”, registra despacho do delegado Márcio Adriano Anselmo, do dia 15 de maio.

Os investigadores suspeitam que Dirceu teria usado sua empresa, JD Assessoria e Consultoria, para ocultar propina em forma de consultoria. Da Engevix, uma das empreiteiras do cartel, ele recebeu R$ 2,6 milhões entre 2008 e 2012.

Parte desse dinheiro foi pago via empresa do lobista Milton Pascowitch – a Jamp Engenheiros Associados. Pascowitch foi preso em maio pela Lava Jato. Em um inquérito, o ex-ministro é investigado por suposta lavagem de dinheiro na compra de um imóvel de R$ 1,6 milhão, em 2012, em São Paulo, onde funcionava a JD Assessoria. Os trabalhos do ex-ministro também são investigados no caso da Camargo Corrêa – empreiteira que tem dois executivos delatores do processo.

Em março, a defesa do ex-ministro entregou à PF cópia de seu passaporte para provar que ele fez 108 viagens a 28 países. Os destinos mais frequentes foram Venezuela e Portugal, com 16 viagens para cada. Na sequência estão EUA (14 vezes) e o Panamá (8).

A maior parte dos deslocamentos ocorreu quando Dirceu já havia deixado a Casa Civil do governo Lula. O passaporte foi entregue pelos advogados do ex-ministro para comprovar que os serviços contratados pelas empreiteiras do cartel, como Galvão Engenharia, OAS e UTC Engenharia, “foram prestados regularmente pela empresa JD Assessoria e Consultoria, principalmente em relação àqueles prestados no âmbito internacional”.

Em 9 anos de atuação, segundo a defesa, a JD Assessoria prestou serviços a mais de 50 empresas no universo de quase 20 setores da economia, como comércio exterior, comunicação, telecomunicações, logística, tecnologia cia informação, construção civil, além de vários ramos da indústria, como a de bebidas, de bens de consumo, farmacêutico e insumos elétricos.

COM A PALAVRA, O EX-MINISTRO JOSÉ DIRCEU

O ex-ministro-chefe da Casa Civil no governo Lula informou, por sua assessoria de imprensa, que o número de viagens internacionais que fez é de aproximadamente 120. Os passaportes registram 108 deslocamentos para o exterior, mas porque entradas e saídas de Cuba não são anotadas em passaporte. Com segurança, destacou a assessoria, Dirceu fez cerca de 120 viagens.

A assessoria de imprensa de José Dirceu assinala que as viagens foram realizadas também para atender aos contratos com a Engevix e Camargo Corrêa.

O ex-ministro, sempre por sua assessoria, rebate taxativamente a informação de que seria acusado de corrupção na Petrobrás. “Formalmente, não há acusação feita contra o ex-ministro.”

Tudo o que sabemos sobre:

José Dirceuoperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: