PF prende suspeito de fraudar R$ 700 mil do seguro-desemprego no Amapá

PF prende suspeito de fraudar R$ 700 mil do seguro-desemprego no Amapá

Segunda fase da Operação Retorno apura esquema de estelionato, falsidade ideológica, falsificação de documento público, uso de documento falso e associação criminosa

Redação

28 Dezembro 2018 | 05h00

Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A Polícia Federal prendeu um suspeito de comandar esquema de fraudes no seguro-desemprego que provocou prejuízo de mais de R$ 700 mil aos cofres públicos. A ação foi resultado da segunda fase da Operação Retorno, deflagrada no Amapá para investigar crimes de estelionato, falsidade ideológica, falsificação de documento público, uso de documento falso e associação criminosa.

O alvo da prisão não teve a identidade revelada. Segundo os investigadores, os elementos colhidos pela primeira fase da Retorno, deflagrada em novembro passado, apontaram que o suspeito é o mentor do esquema criminoso que mirou a Caixa Econômica Federal.

De acordo com informações do Ministério Público Federal e da Coordenação de Inteligência Previdenciária da Caixa, a instituição bancária constatou a ocorrência de fraudes envolvendo o pagamento do valor máximo da parcela do seguro-desemprego. Os investigadores afirmam que os saques eram efetuados com falsos comprovantes de pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Servio (FGTS), vínculos laborais e uso de nomes de empresas inativas.

Além da prisão preventiva, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão em Macapá, mas não informou o alvo da ação. Na primeira fase da Retorno, os agentes prenderam duas pessoas temporariamente.