PF prende superintendente e ex-do DNIT no Amapá por propina

PF prende superintendente e ex-do DNIT no Amapá por propina

Odnaldo de Jesus Oliveira, atual mandatário do Departamento Nacional de Infraestrura de Transportes, e Fábio Vilarinho, o ex, são alvo de investigação por suposta cobrança de 3% a 5% sobre valor das faturas de obras contratadas pela autarquia

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

27 de junho de 2019 | 13h12

A Polícia Federal prendeu nesta quinta, 27, o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Amapá, Odnaldo de Jesus Oliveira, e o ex, Fábio Vilarinho, por suspeita de ligação com esquema de corrupção. A investigação diz que os mandatários do DNIT cobravam propina equivalente a 3% e até 5% do valor das faturas de obras contratadas junto a empreiteiras em troca do adiantamento dos pagamentos.

A PF suspeita, ainda, que era cobrada propina de 1% sobre o valor global das faturas pela emissão de atestados de regularidade de obras mesmo aquelas que ainda não tinham sido fiscalizadas.

Odnaldo, Vilarinho e servidores do DNIT deverão ser indiciados por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O superintendente e o ex estão presos em regime preventivo – sem data para serem soltos.

A pedido da PF e da Procuradoria da República em Macapá, a Justiça decretou o bloqueio de R$ 22 milhões de todos os investigados.

Agentes federais fizeram buscas em sete endereços na capital.

Os investigadores informam que o esquema instalado no DNIT/Amapá operava desde 2015.

COM A PALAVRA, O DNIT

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em relação à operação da Polícia Federal deflagrada no Estado do Amapá, na manhã desta quinta-feira (27), com o objetivo de apurar eventuais ilícitos em contratos de manutenção da Superintendência Regional daquele Estado, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informa:

– O DNIT se coloca à disposição das autoridades para colaborar com os esclarecimentos que se fizerem necessários, visando a completa elucidação dos fatos;

– Eventuais desvios também serão objeto de apuração interna, por meio dos mecanismos de correição da autarquia;

– O atual superintendente da unidade assumiu o cargo em março deste ano e foi afastado das funções até a conclusão das investigações.

– O DNIT reafirma estar em permanente contato com os órgãos de controle e que pauta sua atuação dentro da legalidade e lisura, respeitando todos os princípios éticos da administração pública.

Coordenação-geral de Comunicação Social
Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.