PF prende suíço em Cumbica com menino tailandês de 11 anos e vídeos pornográficos

PF prende suíço em Cumbica com menino tailandês de 11 anos e vídeos pornográficos

Jean François Nicoletti, de 63 anos iria embarcar no Aeroporto Internacional de São Paulo com a criança para Santiago do Chile na noite desta quinta, 20

Pepita Ortega

21 de junho de 2019 | 10h40

O suíço preso nesta quinta, 20, na Operação Resgate pela Polícia Federal em Cumbica. Foto: Policia Federal

A Polícia Federal prendeu nesta quinta, 20, durante a Operação Resgate no Aeroporto Internacional de São Paulo (Guarulhos/Cumbica), o suíço Jean François Nicoletti, de 63 anos, que estava prestes a embarcar com um menor tailandês de onze anos para Santiago do Chile. O homem foi autuado em flagrante por posse de vídeos pornográficos do menino.

Policiais abordaram o suíço durante cumprimento de um mandado de busca e apreensão, expedido pelo Plantão Judiciário Federal em São Paulo.

Após a prisão do homem, o adolescente foi levado ao Hospital Pérola Byington, referência em atendimento a casos de violência sexual na capital paulista, onde passou por perícia médica apara avaliar indícios de violência física e abuso sexual. Depois dos trâmites médicos e administrativos, o menor foi entregue ao Conselho Tutelar.

Materiais apreendidos durante a manhã desta quinta, 20, na Operação Resgate, que prendeu suíço que possuía vídeos de pornografia infantil. Foto: Polícia Federal

Segundo a PF, o suíço e o menino tailandês ficaram hospedados por quatro dias em hotel. Durante esse período, o menor teria ficado incomunicável no quarto, ‘para que não tivesse contato com funcionários ou outros hóspedes’.

A PF informou que o suíço exibiu uma autorização que teria sido expedida pela mãe do menino. Ele passou por vários países com o menor sempre fazendo uso da autorização – o documento será submetido a uma perícia pela PF para verificação de autenticidade.

O homem já havia sido investigado anteriormente por abuso sexual de crianças na Suíça e na Tailândia, indicaram diligências realizadas pela Polícia Federal em parceria com a Interpol, a Adidância Suíça e a Divisão de Repressão à Crimes Cibernéticos.

A PF destacou que adquirir, possuir ou armazenar, fotografias, vídeos ou outros registros pornográficos envolvendo crianças ou adolescentes é um crime tipificado no no artigo 241-B do Estatuto da Criança e Adolescente, com a previsão de penas que variam de 1 a 4 anos de prisão.

Com a conclusão do laudo pericial médico, o suíço também poderá responder por estupro, crime que prevê reclusão de 6 a 10 anos.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia FederalPedofiliaPornografia

Tendências: