PF prende dois após pegar 2,5 toneladas de cocaína em galpão de Duque de Caxias

PF prende dois após pegar 2,5 toneladas de cocaína em galpão de Duque de Caxias

Segundo a corporação, trata-se da maior apreensão de cloridrato de cocaína - forma mais pura e valiosa da droga - já realizada no Rio

Roberta Jansen/Rio

02 de dezembro de 2020 | 08h52

Apreensão de 2,5 toneladas de cocaína em Duque de Caxias. Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal prendeu dois homens em flagrante na noite desta terça, 1º, após apreender cerca de 2,5 toneladas de cocaína em Duque de Caxias, na Baixada fluminense. Segundo a corporação, trata-se da maior apreensão de cloridrato de cocaína – forma mais pura e valiosa da droga – já realizada no Rio. Esta é a terceira apreensão de cocaína registrada este mês no Rio.

A Delegacia de Repressão às Drogas (DRE/RJ) recebeu informações de que uma organização criminosa estaria usando um galpão no município da baixada para armazenagem do entorpecente. Após um trabalho de inteligência e vigilância, que identificou movimentação suspeita de veículos no local, os policiais federais realizaram a incursão que resultou no flagrante.

Os policiais constataram ainda que a segurança do local era feita por um policial militar de folga. Com ele, foi apreendido um rádio comunicador, além de duas armas de fogo sem registro: uma pistola e um revólver. Dentro do galpão, foi preso também em flagrante um homem de 41 anos. Os presos foram indiciados e responderão pelo crime tráfico de drogas, cuja pena pode chegar a 15 anos de reclusão.

A droga encontrada no local foi submetida a testes preliminares e o resultado foi positivo para cocaína. O entorpecente apreendido foi encaminhado à Superintendência da Polícia Federal no Rio e a pesagem registrada foi de 2,466 toneladas da droga.

Em 11 de novembro, a PF e a Receita Federal, em operação conjunta, no porto do Rio, tinham apreendido 380 quilos de cocaína acondicionada em tabletes dentro de resmas de papel A4. A carga já estava dentro de contêineres e  o destino era a cidade portuária de Valência, na Espanha.

Uma semana antes, uma outra operação da PF e da Polícia Civil no porto havia encontrado 780 quilos de cocaína acondicionados em tabletes no interior de sacos industriais, normalmente utilizados em cargas de minério de ferro para exportação. Desta vez o destino era a Antuérpia, na Bélgica. A droga já estava pronta para o embarque, dentro de quatro contêineres.

Segundo as investigações, a rota original da droga para a Europa era pelo porto de Roterdã, na Holanda, mas foi alterada depois que dois grandes carregamentos foram interceptados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.