PF prende deficiente físico em esquema de fraudes no INSS

J.R.B. usava nomes falsos e sua condição para obter benefícios previdenciários; ele confessou que recebia R$ 200 por 'serviço'

Redação

09 Abril 2015 | 17h00

Por Fausto Macedo

A Polícia Federal prendeu nesta quinta feira, 9, no bairro Taipas, em São Paulo, um deficiente físico que se valia de sua condição e de vários nomes falsos para fraudar benefícios junto ao INSS. J.R.B., munido de documentos de outras pessoas, mas com fotos suas, se apresentava para os exames de perícia da Previdência se passando por segurados que não apresentavam qualquer tipo de doença mas que, mesmo assim, tentavam obter benefícios por incapacidade.

Segundo a PF, o suspeito é usuário de crack. Ele assumiu ter sido contratado por uma quadrilha especializada nesse tipo de crime, de quem recebia R$ 200 por ‘serviço’ – comparecimento às agências do INSS.

J.R.B. relatou ainda, ter ido em diversas ocasiões ao INSS para o cometimento desse tipo de fraude, com documentos falsos. A documentação levada à Previdência incluía, além de RG e CPF, falsos laudos médicos do Hospital AC Camargo e do Hospital Geral da Vila Nova Cachoeirinha, ambos situados na Capital paulista.

A investigação da PF foi realizada em conjunto com o Ministério da Previdência Social. A parceria PF/Previdência já identificou benefícios do esquema criminoso tramitando pelas Agências do INSS Santa Marina, Vila Mariana, Mogi das Cruzes e São Carlos. A PF informou que J.R.B será indiciado pelo crime de estelionato qualificado, cuja pena é de 6 anos de reclusão.

Mais conteúdo sobre:

Polícia Federal