PF prende babá de filho do vice-presidente da Venezuela que carregava revólver

Mulher de 39 anos foi detida em flagrante portando uma arma calibre 38; ela alegou que o revólver pertencia ao político

Redação

24 de outubro de 2014 | 19h21

Por Fausto Macedo e Guilherme Russo

A Polícia Federal informou nesta sexta-feira, 24, que a babá do filho de uma autoridade de alto escalão do governo venezuelano foi presa em flagrante durante a madrugada após ser surpreendida com uma arma de fogo no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

De acordo com a PF, a mulher, uma venezuelana de 39 anos, chegou ao Brasil em um avião de propriedade da Petróleos de Venezuela (PDVSA), a estatal venezuelana que controla a produção e exportação da commodity no país. A PF explicou que, como todos os passageiros que chegam em Cumbica – mesmo em aviões que não pertencem a linhas aéreas comerciais –, os integrantes da comitiva do governo venezuelano foram submetidos ao controle que as autoridades brasileiras exercem no terminal de Guarulhos.

Quando a mulher passou sua mala pelo aparelho de raio x, os agentes perceberam um objeto parecido com uma arma de fogo na bagagem, segundo as informações da PF.

A assessoria de imprensa do organismo de segurança brasileiro informou que, neste momento, a suspeita foi levada à delegacia instalada no aeroporto e, ao ter a bagagem revistada, foi confirmado que a venezuelana portava um revólver calibre 38.

Inicialmente, investigadores informaram ao Estado que a autoridade de alto escalão do governo venezuelano que chegou ao Aeroporto de Guarulhos era o vice-presidente venezuelano e ministro da economia da Venezuela.  De acordo com as informações preliminares, parentes do vice faziam parte da comitiva que chegou a Cumbica.

O Estado apurou que o vice venezuelano estava nesta sexta na cidade de Trujillo, na Venezuela, capital do Estado homônimo.

Na noite de ontem, o setor de comunicações da PF confirmou que a autoridade era “o vice-presidente e ministro da Economia Popular da Venezuela”. “A passageira alegou trabalhar como babá da família e (afirmou) que a maleta seria do ministro”, afirmou a PF em um comunicado. O ministro da Economia Popular da Venezuela é Elía Jaua.
A mulher foi autuada por tráfico internacional de arma e poderá ser condenada a uma pena de 4 a 8 anos de reclusão.

O revólver estava municiado. Ela não tem imunidade diplomática e será processada como um criminoso comum. Segundo a PF, após ser autuada no Artigo 18 da lei que controla o porte de armamento no Brasil, por “importar armas sem autorização e sem ter uma justificativa plausível”, a babá foi encaminhada para uma penitenciária estadual.

O organismo não soube informar para qual presídio ela foi encaminhada. O Estado procurou a Embaixada da Venezuela no Brasil, mas nenhum funcionário foi encontrado.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia FederalVenezuela