PF derruba organização que cobrava em criptomoedas para ‘aprovar’ candidatos a exame da Ordem

PF derruba organização que cobrava em criptomoedas para ‘aprovar’ candidatos a exame da Ordem

Operação Singular, deflagrada nesta terça, 4, em São Paulo, Rio Grande do Sul e Ceará, cumpriu 10 mandados judiciais, cinco de busca e apreensão e cinco de prisão preventiva; um investigado está foragido

Pepita Ortega

04 de junho de 2019 | 09h59

Cofre da casa do líder da organização criminosa. Foto: Polícia Federal

Atualizada às 13h21

A Polícia Federal em São Paulo deflagrou na manhã desta terça, 4, a Operação Singular, para desarticular uma organização que praticava crimes cibernéticos. Os federais descobriram que um dos líderes do grupo invadiu o sistema de uma empresa responsável pela realização de concursos e cobrou valores em criptomoedas para ‘aprovar’ candidatos que alcançassem a segunda fase do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil.

A investigação foi realizada na Deepweb, parte da internet não indexada em mecanismos de busca, e identificou que o grupo contava com sete líderes.

Mercadorias compradas com cartão clonado no Rio Grande do Sul. Foto: Polícia Federal

Segundo a PF, o grupo promovia fraudes bancárias eletrônicas, roubando e revendendo dados de cartões de crédito.

Os agentes cumpriram cinco mandados de busca e apreensão e cinco de prisão preventiva nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Ceará. Um investigado está foragido, informou a PF.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: