PF mira líderes de facção por ataques no Ceará

PF mira líderes de facção por ataques no Ceará

Operação Torre cumpre 15 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão no Ceará e em Pernambuco; investigados seriam responsáveis pelos ataques a torres de transmissão de energia elétrica, veículos e estabelecimentos comerciais

Pepita Ortega

26 de setembro de 2019 | 09h23

O usuário do Twitter Maciel Bezerra registrou o ataque a uma topique no bairro Jangurussu, em Fortaleza. Foto: Maciel Bezerra / Twitter

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta, 26, a Operação Torre, para desarticular líderes de facção responsáveis por diferentes ataques no Ceará – a torres de transmissão de energia elétrica, em abril desde ano, e a veículos e estabelecimentos comerciais na capital cearense.

Agentes cumpriram 15 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão no Ceará e em Pernambuco. As medidas judiciais foram deferidas pela Vara de Delitos de Organizações Criminosas da Justiça do Estado do Ceará.

Em abril, três torres de transmissão de energia elétrica da Companhia Hidrelétrica Vale do São Francisco (Chesf) foram alvos de ataques criminosos. Foto: Reprodução Google Street View

A ação é realizada em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas do Estado, o Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado.

Segundo as investigações, as ações do grupo foram praticadas sob determinações de lideranças que se encontravam em presídios. As ordens eram planejadas por esses líderes e executadas por integrantes da organização criminosa que se estavam em liberdade, indica a PF.

A corporação informou que prendeu, na quarta, 24, em Pernambuco, um homem de 45 anos de Umbuzeiro (PB) que seria integrante e fundador da facção responsável pelos ataques no Ceará.

De acordo com a PF, os investigados podem responder pelos crimes de dano, incêndio e participação em organização criminosa.

Ondas de ataques criminosos

Nos últimos cinco dias, foram registrados 38 ataques a ônibus, carros e caminhões nas ruas do Ceará. Após os ataques, o governo do Estado prendeu 31 suspeitos e transferiu 257 detentos supostamente ligados à facção criminosa que ordenou o vandalismo.

Além das ações criminosas na capital do Estado, Fortaleza, houve registro de crimes em cinco municípios: Canindé, Quixadá, Quixeramobim, Paracuru e Jucás.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia FederalCeará [estado]