PF mira fraude em licitação de R$ 4 milhões para montagem de hospitais de campanha de Paulínia

PF mira fraude em licitação de R$ 4 milhões para montagem de hospitais de campanha de Paulínia

Operação Carga Implosiva cumpre 14 mandados de busca e apreensão em cidades de dois Estados para investigar suposta fraude em licitação envolvendo hospitais de campanha na cidade do interior paulista

Redação

21 de setembro de 2021 | 08h20

Operação Carga Implosiva. Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 21, a Operação Carga Implosiva para investigar suposta fraude em licitação envolvendo contrato de R$ 4 milhões para montagem de dois hospitais de campanha em Paulínia, no interior paulista, para tratar pacientes infectados com o novo coronavírus, entre abril e maio de 2020.

Um efetivo de 60 agentes cumprem a 14 mandados de busca e apreensão em cidades de dois Estados: São Paulo – Campinas, Paulínia, Sumaré, São José do Rio Preto e São Paulo – e Santa Catarina – Florianópolis e Biguaçu.

As ordens foram expedidas pela 9ª Vara Federal de Campinas e miram endereços ligados a pessoas e empresas relacionadas à licitação fraudada, com o objetivo de colher provas e identificar todos os envolvidos.

De acordo com a PF, a investigação teve início quando a abordagem de um caminhão suspeito de conter carga roubada, em abril de 2020, revelou ‘uma série de indícios de irregularidades em processo licitatório aberto para selecionar e contratar empresa especializada em montagem de hospitais de campanha’.

“Apesar da contratação não ter sido finalizada, a investigação demonstrou que isso se deu por circunstâncias alheias à vontade dos envolvidos”, diz a corporação.

O nome da operação, Carga Implosiva, faz referência à carga encontrada dentro do caminhão – estruturas metálicas para eventos – ‘que revelou os indícios da trama delitiva e a impediu’, informou a Polícia Federal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.