PF mira desvio de R$ 500 mil de livros escolares no Piauí

PF mira desvio de R$ 500 mil de livros escolares no Piauí

Prefeitura é investigada por fraudes em licitações para compra de material didático; Agente públicos municipais e vereador são presos

Rayssa Motta

12 de maio de 2020 | 10h44

PF faz buscas na Câmara Municipal de União, no Piauí. Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagraram na manhã desta terça, 12, a Operação Delivery para investigar desvios de recursos públicos da educação destinados ao município de União, no Piauí, no valor de pelo menos R$ 500 mil.

Cinco pessoas foram presas preventivamente investigadas pelos crimes de corrupção, peculato e fraudes licitatórias. São empresários, agentes públicos municipais e um vereador.

Os policiais federais e auditores da CGU cumprem ainda dez Mandados de Busca e Apreensão nas cidades de União e Teresina, ambas no Piauí, e Fortaleza, no Ceará.

Segundo a PF, há indícios de que superfaturamento de contratos custeados pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O Inquérito Policial aponta que a Secretaria de Educação de União teria adquirido livros escolares em quantidade maior que o número de alunos do município através da contratação de empresas fictícias, com sede em Fortaleza, que seriam responsáveis pelo fornecimento fraudulento do material didático.

A investigação foi instaurada a partir de notícias da apreensão, pela Polícia Militar, de R$ 379 mil em espécie, no dia 1º de maio de 2020, em veículo alugado pela prefeitura de União, em posse de dois funcionários municipais que não esclareceram a origem dos valores.

A palavra Delivery faz referência à forma como o dinheiro foi transportado entre os estados do Ceará e Piauí.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: