PF investiga fraudes em contratos do Instituto de Psiquiatria da UFRJ e suspeita de propinas a servidores

PF investiga fraudes em contratos do Instituto de Psiquiatria da UFRJ e suspeita de propinas a servidores

Operação Pronta Emergência II cumpre dois mandados de prisão temporária e nove de busca e apreensão nas cidades do Rio de Janeiro e Niterói

Redação

08 de julho de 2021 | 12h18

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta, 8, a Operação Pronta Emergência II para apurar irregularidades em contratos do Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Os investigadores apontam que servidores do órgão ‘se associaram criminalmente aos empresários representantes de empresas, a fim de direcionar diversas contratações’, em troca de propinas.

Um efetivo de 52 agentes cumprem dois mandados de prisão temporária e nove de busca e apreensão nas cidades do Rio de Janeiro e Niterói. As ordens foram expedidas pela 1ª Vara Federal Criminal do Rio e os investigados podem responder pelos crimes de organização criminosa, peculato e fraudes em licitação.

A Polícia Federal diz ter verificado uma série de irregularidades na montagem dos processos de licitação sob suspeita, entre elas ‘cotações fictícias, superfaturadas e com empresas integrantes da organização criminosa’ e a ‘elaboração de estudo técnico preliminar  pelas próprias empresas, sendo posteriormente preenchidos no IPUB’.

Além disso, a corporação suspeita do direcionamento da contratação mediante pagamento de propinas aos servidores e aponta ‘fortes indícios’ de que as empresas participantes do esquema pertencem aos mesmos indivíduos.

COM A PALAVRA, O INSTITUTO DE PSIQUIATRIA

A reportagem busca contato com o instituto. O espaço está aberto apara manifestações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.