Nemeus investiga desvio de recursos do Ministério do Esporte

Nemeus investiga desvio de recursos do Ministério do Esporte

Polícia Federal cumpre notificação judicial de afastamento do presidente da Confederação de Taekwondo; diligências estão sendo realizadas nas sedes da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo e na Confederação Brasileira de Taekwondo, e em empresas ligadas às fraudes

Julia Affonso e Fausto Macedo

24 Agosto 2016 | 09h36

Foto: Jose Lucena/Futura Press

Foto: Jose Lucena/Futura Press

A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal e o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle, deflagrou nesta quarta-feira, 24, a Operação Nemeus contra um grupo que teria fraudado licitações e desviado recursos públicos cedidos pelo Ministério do Esporte, por meio de convênios, a diversas confederações esportivas.

Policiais federais dão cumprimento a 16 mandados judiciais no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Manaus e Caxias do Sul, em escritórios e residências de investigados suspeitos de integrarem o esquema.

No Rio de Janeiro estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão, quatro conduções coercitivas, um mandado de prisão preventiva e também uma notificação judicial de afastamento do presidente da Confederação de Taekwondo. Diligências estão sendo realizadas nas sedes da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo e na Confederação Brasileira de Taekwondo, e em empresas ligadas às fraudes.

As investigações da PF, iniciadas há cerca de 1 ano, indicam que a quadrilha vem fraudando licitações com o uso de documentos falsos, a fim de realizar contratações e aquisições por preços muito acima do mercado.

Segundo a PF, a operação recebeu o nome em alusão aos Jogos Nemeus, disputados na Grécia antiga e dedicados a Zeus.