PF indicia por ‘incitação’ advogado que ameaçou Dilma

PF indicia por ‘incitação’ advogado que ameaçou Dilma

Em vídeo, exibido nas redes sociais em 25 de agosto, Matheus Sathler Garcia afirmou que iria promover um golpe militar e decapitar a presidente da República no dia 7 de Setembro

Redação

24 de setembro de 2015 | 17h24

matheus-advogado

Por Andreza Matais e Julia Affonso

A Polícia Federal indiciou o advogado Matheus Sathler Garcia, do Distrito Federal, que ameaçou promover um golpe militar e decapitar a presidente da República, Dilma Rousseff, por vídeo divulgado na internet. O inquérito foi concluído e enviado à Justiça Federal na quarta-feira, 23.

O autor do vídeo foi candidato a deputado pelo DF, pelo PSDB. A PF o indiciou no crime de incitação, previsto no artigo 268 do Código Penal. A pena prevista nestes casos vai de 3 meses a 6 meses de prisão e multa. Nas imagens, o advogado incitava a população a práticas violentas durante as celebrações do Dia da Independência, em 7 de setembro.

Segundo a PF, o investigado, que havia postado o vídeo em 25 de agosto, foi localizado pelo policiais federais em São Paulo, onde foi ouvido e cientificado da decisão judicial que, entre outras medidas, o impedia de se aproximar da Esplanada dos Ministérios no dia 7 de setembro. Todas as medidas judiciais solicitadas pela Polícia Federal à época foram concedidas pela Justiça Federal.

“Vivemos em um Estado de Direito e não podemos permitir que o direito ao exercício da livre expressão dos indivíduos sirva de escudo para a incitação de crimes”, afirma a delegada de Polícia Federal Fernanda Costa de Oliveira, chefe da Delegacia de Inquéritos Especiais, responsável pelo caso. A reportagem não localizou o advogado.

Tudo o que sabemos sobre:

ameaçaDilma RousseffPolícia Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.