PF indicia bolsonarista por fake news sobre ‘urnas fraudadas’

PF indicia bolsonarista por fake news sobre ‘urnas fraudadas’

Em vídeo, educadora Inaiara Mello Roux Leite responsabiliza governo federal por 'envio de urnas fraudadas para cidades do tamanho de um ovo, com luz à vela, como Recife, Juazeiro e Petrolina'

Julia Affonso

19 de outubro de 2018 | 15h34

Foto: Estadão

A Polícia Federal, no Rio Grande do Sul, indiciou esta sexta-feira, 19, a educadora física Inaiara Mello Roux Leite por crimes eleitorais. Segundo a investigação, ela divulgou fake news, durante as eleições 2018, em vídeo publicado em redes sociais.

“Gente, esse vídeo é mais uma vez para pedir apoio para o pessoal do Nordeste. O que está acontecendo? As urnas fraudadas, a maior parte delas, foi para o Nordeste. Isso já foi um planejamento criminoso do atual Governo, certo? Vou citar para vocês as cidades: Petrolina, Juazeiro, Recife, Pesqueiro, Serra Talhada, Vitória de Santo Antonio e Alagados são cidadezinhas que são do tamanho de um ovo. Lá a luz é a vela ainda”, afirmou no vídeo.

“É um povo muito carente ainda. Mas, gente, é muito carente mesmo. E eles estão muito chateados por que não conseguiram votar no Bolsonaro. Estão fazendo o que? Colocando essa massa contra o Nordeste. E não é isso. Temos que apoiar o Nordeste e temos que ir atrás disso, crime eleitoral foi o que aconteceu. Vamos denunciar.”

O inquérito foi instaurado pela Polícia Federal na quinta-feira, 18, por requisição do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul. Diligências possibilitaram a identificação da autora do vídeo.

A educadora foi indiciada por ‘divulgar, na propaganda, fatos que sabe inverídicos, em relação a partidos ou candidatos e capazes de exercerem influência perante o eleitorado’ e por ‘caluniar alguém, na propaganda eleitoral, ou visando fins de propaganda, imputando-lhe falsamente fato definido como crime’ – crimes previstos nos artigos 324 e 325 do Código Eleitoral, com pena prevista de três anos de detenção.

A sanção ainda pode ser aumentada em um terço – artigo 327, III -, ‘em razão da utilização de redes sociais para divulgação do conteúdo falso’.

COM A PALAVRA, INAIARA

A reportagem está tentando contato com Inaiara Mello Roux Leite. O espaço está aberto para manifestação.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia Federalfake newseleições 2018

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: