PF investiga gerente por esquema de empréstimos ilegais que teria desviado R$ 1,5 milhão de cooperativa de crédito

PF investiga gerente por esquema de empréstimos ilegais que teria desviado R$ 1,5 milhão de cooperativa de crédito

Investigação, aberta a partir de comunicação da própria instituição financeira, aponta que documentos falsos teriam sido usados para abrir pelo menos 136 contas 

Rayssa Motta

05 de abril de 2022 | 18h10

A Polícia Federal (PF) investiga o gerente de uma filial do Sistema de Cooperativas Financeiras do Brasil (Sicoob) suspeito de operar um esquema de empréstimo ilegais.

O inquérito policial aponta que pelo menos 136 contas foram abertas com documentos falsos.  Segundo a PF, o gerente era o principal beneficiário das transferências, que somam aproximadamente R$ 1,5 milhão.

Mais cedo, os policiais federais cumpriram dois mandados de busca e apreensão em Santa Bárbara D’Oeste e em Americana, na região metropolitana de Campinas (SP), na operação O Administrador Infiel. As ordens foram expedidas pela 9.ª Vara Federal de Campinas.

Investigação teve início depois que o próprio Sicoob comunicou a PF sobre indícios de irregularidades. Foto ilustrativa: Sicoob/Divulgação

O Estadão apurou que a delegada responsável pela investigação vai analisar o material apreendido para confirmar se os dados eram cadastrados nas transações com ou sem o conhecimento dos donos. A PF suspeita que os documentos tenham sido fraudados.

A investigação foi aberta a partir de uma denúncia da própria instituição financeira. A reportagem não conseguiu contato com a assessoria do Sicoob.

Até o momento, a PF identificou o uso de documentos falsos para obter empréstimos e transferir o dinheiro para contas próprias ou de familiares.

A PF vê indícios de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, lavagem de dinheiro e uso de documento falso.

COM A PALAVRA, O SICOOB

A reportagem busca contato com o Sicoob para comentar a operação. O espaço está aberto para manifestação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.