PF fez busca em quarto de hotel usado por João Santana próximo ao Alvorada

Hotel Royal Tulip é usado como moradia por políticos. Lula estava hospedado no hotel hoje, mas não foi alvo da Lava Jato

Fausto Macedo, Julia Affonso, Andreza Matais e Beatriz Bulla

22 de março de 2016 | 14h58

A Polícia Federal esteve no hotel Golden Tulip, em Brasília, na manhã desta terça-feira para cumprir mandado de busca e apreensão num apartamento usado pelo casal de publicitários João Santana e Mônica Moura. A Operação Xepa, como foi denominada a 26a fase da Lava Jato, cumpriu mandado de busca e apreensão no apartamento 3050 do hotel, conjunto B, bloco C, que fica a poucos metros do Palácio da Alvorada, residência oficial dos presidentes da República.

No hotel moram vários políticos. O senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) é um deles e foi preso no local em novembro do ano passado. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esta hospedado no hotel nesta terça-feira. O petista não é alvo da Operação Xepa.

João Santana foi marqueteiro das duas campanhas da presidente Dilma Rousseff (2006-2010) e nos últimos anos ele atuou apenas para campanhas do PT. Ele e a mulher foram presos na 23a fase da Lava Jato, denominada Acarajé, em referência a como os envolvidos chamavam a propina. A Lava Jato aponta que a empresa deles, a Polis Propaganda e Marketing, recebeu da Odebrecht pagamento de caixa dois de campanhas políticas em contas em paraísos fiscais e em dinheiro vivo. A empreiteira nega pagamentos ilegais.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: