PF faz buscas no Ibama do Amapá e mira servidor por corrupção na fiscalização de serrarias

PF faz buscas no Ibama do Amapá e mira servidor por corrupção na fiscalização de serrarias

Na Operação Acônito, Polícia Federal cumpriu dois mandados de apreensão na residência do investigado e em sua estação de trabalho na sede do Instituto do Meio Ambiente

Pedro Prata

03 de março de 2020 | 15h07

Atualizada às 11h35 de 4 de março de 2020 para inclusão do posicionamento do Ibama.

A Polícia Federal cumpriu dois mandados de busca e apreensão nesta terça, 3, na casa e na estação de trabalho de um servidor federal do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis suspeito de deixar de fiscalizar serrarias no Amapá em troca de vantagens indevidas.

O nome da Operação, ‘Acônito’, vem de uma das plantas mais venenosas da floresta.

O acônito é uma planta venenosa. Foto: Pixabay/@Nennieinszweidrei/Divulgação

Por meio de nota, o Ibama informou que o servidor está afastado de suas funções.

As investigações começaram a partir de uma prisão em flagrante em 2018. O servidor é investigado por corrupção nas ações de fiscalização no Estado.

A PF apura o crime de corrupção passiva majorada. A pena máxima é de 16 anos de reclusão em caso de condenação.

Foto: PF/Divulgação

COM A PALAVRA, O IBAMA

“A operação realizada nesta terça-feira (03/03) é conduzida pela Polícia Federal (PF). A superintendência do Ibama no Amapá colabora com as investigações.

O servidor investigado está afastado de suas funções. As irregularidades eventualmente praticadas serão encaminhadas à Corregedoria do Instituto para apuração.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: