PF faz buscas em quatro Estados e no DF contra grupo empresarial por crimes tributários e financeiros que geraram prejuízo de R$ 8 bilhões

PF faz buscas em quatro Estados e no DF contra grupo empresarial por crimes tributários e financeiros que geraram prejuízo de R$ 8 bilhões

Segundo a PF, os investigados se organizaram em um 'sofisticado esquema contábil-financeiro para desviar o patrimônio das empresas do grupo, transferindo-o para os seus sócios e laranjas, com a finalidade de elidir tributos e direitos trabalhistas de centenas de empregados'

Redação

05 de maio de 2021 | 08h16

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta, 5, a Operação Background para investigar supostos crimes tributários e financeiros, fraude à execução e contra a organização do trabalho, organização criminosa e de lavagem de dinheiro por parte de integrantes de um grupo empresarial do Nordeste, com atuação em âmbito nacional.

Mais de 240 agentes cumprem 53 mandados de busca e apreensão em Pernambuco, São Paulo, Amazonas, Pará e Distrito Federal. As ordens foram expedidas pelo Juízo da 4ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco, que determinou ainda o sequestro e bloqueio de bens e valores de investigados.

As apurações contam com apoio da Receita Federal do Brasil e da Procuradoria Regional da Fazenda Nacional – 5ª Região.

Segundo a PF, os investigados se organizaram em um ‘sofisticado esquema contábil-financeiro para desviar o patrimônio das empresas do grupo, transferindo-o para os seus sócios e laranjas, com a finalidade de elidir tributos e direitos trabalhistas de centenas de empregados’. A PF estima que o prejuízo causado aos cofres públicos e aos trabalhadores é de mais de R$ 8,64 bilhões.

A corporação indica que a ofensiva realizada nesta manhã busca colher elementos de materialidade e indícios de autoria e recuperar o patrimônio desviado e ocultado pelos investigados. Segundo os investigadores, essa última medida visa ‘não só reparar o dano patrimonial causado aos cofres públicos, através dos débitos tributários já constituídos, mas principalmente, liquidar os créditos trabalhistas de centenas de empregados do grupo empresarial’.

“Com grande parte de suas atividades paralisadas após o esvaziamento patrimonial criminoso, as empresas do grupo investigado deixaram centenas de trabalhadores sem receber salários e outros direitos trabalhistas, sendo um dos objetivos da investigação permitir que essas famílias de trabalhadores recuperem os seus direitos por meio da Justiça do Trabalho, que inclusive já os reconheceu formalmente”, explicou a PF.

De acordo com a Polícia Federal, o nome da ofensiva realizada nesta manhã faz referência à forma de ocultação patrimonial utilizada pela organização criminosa, ‘criando empresas paralelas, com sócios aparentes, para receber o patrimônio do grupo empresarial, com a finalidade de impedir o pagamento dos créditos trabalhistas e tributários, garantindo que o patrimônio permaneça com seus gestores – Background – conjunto de condições que omitem a realidade’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.