PF faz buscas contra servidores do Dnit e empresários por desvios em obras no Paraná

PF faz buscas contra servidores do Dnit e empresários por desvios em obras no Paraná

Cinco funcionários públicos foram afastados; investigação diz que suposto esquema de superfaturamento e lavagem de dinheiro funciona há pelo menos dez anos

Redação

10 de fevereiro de 2022 | 10h51

Operação Rolo Compressor mira suspeita de desvios em contratos do DNIT no Paraná. Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal abriu nesta quinta-feira, 10, a Operação Rolo Compressor contra um grupo suspeito de desviar recursos de obras públicas no Paraná. Segundo a investigação, há indícios de superfaturamento e lavagem de dinheiro.

Os alvos da operação são servidores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e empresas contratadas pelo órgão para execução e supervisão das obras. A Controladoria-Geral da União (CGU), que apoia da investigação, disse que os funcionários públicos receberam propina de empresários.

“Até o momento, as investigações já evidenciaram elementos consistentes que indicam o recebimento de vantagens indevidas, consubstanciadas em movimentação de dinheiro em espécie sem lastro nos saldos bancários declarados e ocultação de patrimônio em nome de terceiros”, diz a CGU. A Receita Federal também auxilia no inquérito.

Ao todo, 26 mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Curitiba, estão sendo cumpridos por 125 policiais federais no Paraná, Mato Grosso, Santa Catarina, Distrito Federal, Minas Gerais e São Paulo. A Justiça também autorizou a prisão de um dos investigados e determinou o afastamento cautelar de cinco servidores e o bloqueio de seus bens.

A investigação, iniciada em 2015, identificou que o esquema de fraudes nas contratações operava há pelo menos uma década. Um dos contratos sob suspeita é o da duplicação da BR-163, no valor de R$ 700 milhões. Técnicos da CGU identificaram sobrepreço e superfaturamento de R$ 60 milhões.

COM A PALAVRA, O DNIT

“Em relação à operação deflagrada pela Polícia Federal no Paraná e outros estados, nesta quinta-feira (10), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informa:

O DNIT colabora com a investigação, visando a completa elucidação dos fatos. Trata-se de inquérito instaurado em 2015 e se refere a práticas ocorridas antes desse período.

As instâncias de integridade da Autarquia também estão apurando os fatos a fim de adotar as medidas administrativas que forem necessárias.

O Departamento está em permanente contato com os órgãos de controle e reafirma que pauta sua atuação dentro da legalidade e lisura, respeitando todos os princípios éticos da administração pública.”

Veja registros da operação divulgados pela PF:

  

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.