PF faz Operação contra evasão e lavagem e mira grupo ligado a ‘doleiro dos doleiros’

PF faz Operação contra evasão e lavagem e mira grupo ligado a ‘doleiro dos doleiros’

Operação ‘Enterro dos Ossos’ vasculha 11 endereços em São Paulo e no Rio para aprofundar as investigações sobre 'investigados que mantém bens e recursos no exterior não declarados, além de praticar operações suspeitas de “dólar-cabo”’; ofensiva é um desdobramento da Operação Patron, que mirou doleiro Dario Messer, em novembro de 2019

Pepita Ortega e Rayanderson Guerra

17 de maio de 2022 | 08h29

Operação Enterro dos Ossos. Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal no Rio de Janeiro deflagrou na manhã desta terça-feira, 17, uma Operação batizada ‘Enterro dos Ossos’ contra supostos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Segundo a corporação, a ofensiva ‘visa ‘aprofundar as investigações sobre pessoas que mantém/mantiveram bens e recursos no exterior não declarados, além de praticar operações suspeitas de “dólar-cabo”’.

A ação é um desdobramento da Operação Patron, que, em novembro de 2019, mirou Dario Messer, conhecido como o ‘doleiro dos doleiros’, e o ex-presidente do Paraguai Horácio Cartes.  Também foram usados dados obtidos na Operação Câmbio Desligo, que investigou remessas ilegais de dinheiro ao exterior e na qual Messer foi preso.

Os alvos da ofensiva aberta nesta manhã são pessoas ligadas a Messer. Balanço parcial da operação indica que, durante as diligências, foram apreendidos 58.340 dólares, 1.750 euros e R$ 5,7 mil – totalizando cerca de R$ 304 mil. Além disso, a PF apreendeu celulares e documentos diversos.

Os dólares foram apreendidos em uma casa em Ipanema, na zona sul do Rio. Os agentes da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros (Delecor/PF) ainda foram até um escritório no Leblon e em um condomínio na Barra da Tijuca, na zona oeste.

Ao todo, cerca de 50 agentes cumpriram 11 mandados de busca e apreensão em residências e empresas localizadas no Rio de Janeiro e em São Paulo. As ordens foram expedidas pela 7ª Vara Federal criminal do Rio.

O nome da ofensiva, ‘Enterro dos Ossos’ faz referência ao costume de famílias ‘voltarem a se reunir no dia seguinte à ceia do natal para continuar a refeição da noite anterior’, diz a PF.

“As investigações em torno do esquema criminoso se desenvolveram até aqui por meio das operações Cambio Desligo e Patron. Com base no material apreendido e analisado nessas investigações, a Polícia Federal retorna às ruas para deflagrar mais uma fase desse trabalho, em busca de elementos que corroborem a prática de lavagem de dinheiro e evasão de divisas em paraísos fiscais realizados por agente financeiro da organização criminosa”, explicou a corporação.

A Operação Câmbio, Desligo foi um desdobramento da Lava Jato no Rio. A PF apurava a movimentação suspeita de R$ 1,6 bilhão em mais de cinquenta países, com base nas operações dólar-cabo. O ex-governador do Rio Sérgio Cabral foi um dos alvos.

Operação Enterro dos Ossos. Foto: Polícia Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.