PF faz acareação de cunhada de Vaccari e doleiro

Os dois ficaram frente a frente; Alberto Youssef reafirmou que pagou propina a pedido da OAS para Marice Corrêa de Lima, que negou

Redação

28 Abril 2015 | 18h59

Marice deixa a carceragem da PF, em Curitiba. Foto: Gisele Pimenta/Frame

Marice deixa a carceragem da PF, em Curitiba. Foto: Gisele Pimenta/Frame

Por Ricardo Brandt, Julia Affonso e Fausto Macedo

A cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto foi submetida a uma acareação com o doleiro Alberto Youssef, peça central da Operação Lava Jato, nesta terça feira, 28, na Polícia Federal em Curitiba. Marice Corrêa de Lima e Youssef mantiveram suas versões, dadas em depoimentos anteriores.

Alberto Youssef está preso desde março de 2014. Foto: Vagner Rosario/Futura Press

Alberto Youssef está preso desde março de 2014. Foto: Vagner Rosario/Futura Press

O delegado que conduziu a acareação leu inicialmente o relato do doleiro, em que ele diz ter pago propinas a Marice, por orientação da empreiteira OAS. Foi perguntado a Youssef se ele mantinha suas declarações. Ele respondeu afirmativamente.

Depois, foi lido o depoimento de Marice, em que ela nega o recebimento de valores de Youssef. Ela também confirmou a íntegra do que já havia afirmado.