PF está perto de prender 12º alvo da Hashtag na fronteira com a Bolívia

PF está perto de prender 12º alvo da Hashtag na fronteira com a Bolívia

Agentes têm indicações seguras da localização do mecânico Leonid El Kadre de Melo, investigado por suposta promoção do Estado Islâmico no Brasil e preparação de atentados terroristas nas Olimpíadas do Rio

Julia Affonso e Fausto Macedo

24 de julho de 2016 | 16h33

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A Polícia Federal está perto de localizar e prender o 12.º alvo da Operação Hashtag, por suspeita de promover o Estado Islâmico no Brasil e organizar atentado nas Olimpíadas do Rio.

A PF tem indicações que considera seguras do paradeiro do foragido, Leonid El Kadre de Melona, na divisa com a Bolívia.

Leonid El Kadre de Melo, mecânico, mora em Vila Bela da Santíssima Trindade, município de 15 mil habitantes em Mato Grosso, a 540 quilômetros da capital, Cuiabá.

Nessa mesma cidade reside Valdir Pereira Rocha que, na sexta-feira, 22, entregou-se à PF.

Leonid fugiu quando a Hashtag foi deflagrada, quinta, 21.

Ao todo, a Justiça Federal no Paraná, base da Hashtag, decretou a prisão temporária, por trinta dias, de 12 investigados – todos foram monitorados desde que o FBI, a Polícia Federal dos Estados Unidos, emitiu alerta ao governo brasileiro sobre o teor das comunicações do grupo exaltando recentes massacres no mundo cuja autoria foi reivindicada pelo Islâmico.

Pelo menos seis nomes de brasileiros supostamente simpatizantes do terrorismo foram comunicados pelo FBI.

Na quinta, dia da deflagração da Hashtag, a PF prendeu dez investigados – todos foram levados para o presídio federal de segurança máxima de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

Os alvos da operação antiterror da Polícia Federal estão isolados na penitenciária.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.